Trampo Social2018-11-14T15:03:43+00:00

Projeto de formação que prepara para o mercado de trabalho com uma série de oficinas únicas, desenvolvidas para tirar o jovem do lugar comum e adquirir ferramentas que podem contribuir com seu futuro e com jovens e crianças das comunidades.

Queremos quebrar os muros e descobrir potências jovens e, com isso, lançamos o desafio do jovem ser um Educador Social, inspirando outros jovens, com muita vontade de progresso.

Jovens entre 16 e 24 anos, das mais diversas regiões de Campinas, que procuram oportunidades de primeiro emprego.  A proposta é desenvolver futuros Educadores Sociais (O Educador Social trabalha com a galera, planeja atividades, troca muitas ideias, faz junto, agita movimentos, conhece o território e inspira outros jovens…) e, para isso, ter vontade de gerar impacto positivo na sociedade é um valor importante. E mais… Ter disponibilidade em participar e vontade de mergulhar em uma experiência diferente de autodesenvolvimento, conhecimento e em experiências práticas é fundamental!

Saia na frente adquirindo desenvolvimento pessoal, interpessoal e ferramentas para desenvolver atividades com crianças e jovens.

Iniciativa criado do zero para chegar até você. Seja parte da construção de algo que pode ser multiplicado e beneficiar ainda mais gente. 

 

Participe de uma vivência imersiva, que foge do modelo tradicional de educação, que proporciona uma vivência divertida e marcante.

Aproveite uma forma de aprender que envolve as relações e se fortalece com uma rede de pessoas inspiradas, como você, a ter uma experiência profissional e, ao mesmo tempo, transformar o mundo com iniciativas positivas.

O curso, além de oferecer conteúdo para seu futuro profissional, desenvolverá habilidades para que seja protagonista de sua própria vida e potencialize seu papel como agente de mudança. 

Experimente uma nova forma de aprender: leve e divertida. Descubra, construa e incorpore novos comportamentos e novas formas de enxergar o mundo.

Formação gratuita composta por 12 oficinas de desenvolvimento pessoal e preparo de Jovens para atuação em ONG’s (ONG’s são serviços sem fins lucrativos que defendem, promovem ações e oferecem atividades para a população, neste caso, especialmente para crianças e jovens, fora do ambiente escolar. A maioria funciona o dia todo e a galera vai antes ou depois das aulas.) Serão 96 horas presenciais com certificado.

Por meio das oficinas, os jovens participam de experiências criativas e significativas que possibilitam a inovação, a troca de experiências, a construção de conhecimentos, o “encontrar sentido” e o vivenciar o que se aprende.

combinando uma cultura geral, suficientemente ampla, com a possibilidade de estudar, em profundidade, um número reduzido de assuntos, ou seja: aprender a aprender, para beneficiar-se das oportunidades oferecidas pela educação ao longo da vida.

Afim de adquirir não só uma qualificação profissional, mas, de uma maneira mais abrangente, a competência que torna a pessoa apta a enfrentar numerosas situações e a trabalhar em equipe. Além disso, aprender a fazer no âmbito das diversas experiências sociais ou de trabalho, oferecidas aos jovens e adolescentes, seja espontânea­ mente na sequência do contexto local ou nacional, seja formalmente, graças ao desenvolvimento do ensino alternado com o trabalho.     

Desenvolvendo a compreensão do outro e a percep­ção das interdependências – realizar projetos comuns e preparar-se para gerenciar conflitos – no respeito pelos valores do pluralismo, da compreensão mútua e da paz.         

Para desenvolver, o melhor possível, a personalidade e estar em condições de agir com uma capacidade cada vez maior de auto­nomia, discernimento e responsabilidade pessoal. Com essa finalidade, a educação deve levar em consideração todas as potencialidades de cada indivíduo: memória, raciocínio, sentido estético, capacidades físicas, aptidão para comunicar­.

Capacitação para atuação como educadores sociais, possibilitando qualificação profissional na área social, ampliação de oportunidade de inserção no mundo do trabalho, desenvolvendo capacidade de liderança e cooperação para atuarem como agentes de transformação social.

A intenção é que as próprias instituições absorvam os jovens capacitados para atuarem como educadores sociais, especialmente na função de Aprendizes, no sentido de promover a reinvenção/atualização de práticas, contribuindo diretamente com as equipes de trabalho e com o público atendido, além de proporcionar às Organizações da Sociedade Civil possibilidades de contratação dentro do programa de aprendizagem profissional, tornando uma obrigatoriedade em oportunidade de qualificação e ampliação da equipe de atendimento.

01 – Propositalmente

  • Boas Vindas;
  • Identidade;
  • Sonhe Grande – a potência transformadora de cada um;
  • Nossos Talentos: Skills, Passions & Wants;
  • Comunidades e Redes;
  • O Mercado de trabalho e ofício;
  • Exercícios – anúncio; cv.

02 – Mundo pra todo mundo

  • Direitos humanos – qual nosso papel?
  • Cooperação: a potência do coletivo;
  • Mediando conflitos: justiça restaurativa;
  • Empatia: perceber o outro;
  • Territórios;
  • Diversidade.

03 – CNV

  • Comunicação não violenta.

04 – Sinto, logo existo

  • Aprender: o que as emoções tem haver com isso?
  • Repensando o erro;
  • O papel do facilitador X palestrante;
  • Reflexão e aprendizagem – a observação do aprender.

05 – O educador social e o mundo

  • Cidadania e propósito;
  • O que faz um bom educador social?
  • Qual o ambiente e rede de apoio que potencializam essa ação?
  • Principais desafios;
  • Entendendo o Ecossistema da Assistência Social (Lei Orgânica da Assistência Social, SUAS, CFV)**.

06 – O pálido ponto azul

  • Resiliência;
  • Cidadania e propósito;
  • O ser humano é um ser coletivo: a importância da conexão;
  • Cooperação: a potência do coletivo.

07 – Design para seres humanos

  • Desafio: desenvolver uma atividade transformadora de forma criativa e autêntica – Human Centered Design;
  • Início do processo de design: sonhos, desafios;
  • Compartilhar sonhos desafios – montar grupos : 10 grupos (até 3);
  • Planejar a pesquisa: usuários, inspirações.

08 – Insights, definindo o desafio e ideação

  • Boas vindas e resgate energia;
  • Inspiração : Boas práticas: recomendações de um educador social;
  • Insights: como organizar as aprendizagens e torná-las visuais;
  • Definição do Desafio: Como nós poderemos …
  • Ideação e escolha.

09 – Prototipação

  • Protótipo da atividade;
  • Plano de ação;
  • Recursos;
  • Apresentação  para o grupo;
  • Feedbacks do grupo;
  • Ajustes.

10 – Mão na massa

  • Colocando a atividade em prática.

11 – Aprendizagens

  • Debriefing: desafios e conquistas;
  • Evoluir ideias;
  • Projeto final – consolidar ideias.

12 – É festa, é festão!

  • Certificado;
  • Celebração.

As inscrições encerraram dia 17 de outubro a 05 de novembro de 2018

A seleção foi feita por comissão mista composta por integrantes da Fundação FEAC e do Coletivo Sem Rótulo priorizando: diversidade, atingir diversas regiões de Campinas, engajamento e comprometimento com a participação nas datas estipuladas e análise do texto sobre o que motiva a participação no curso.

Será oferecido vale-transporte e/ou transporte fretado do centro da cidade até o local das oficinas, além de alimentação durante os dias de atividade.

LOCAL: CASARÃO FUNDAÇÃO FEAC
(Av. Dr. Nelson Noronha Gustavo Filho. Ver mapa AQUI)

SELECIONADOS

X