REAJU planeja encontros, formações e espaços de discussão e debates para juventudes

(Por Laura Gonçalves Sucena)

Discutir a realidade, gerar debates e saber mais sobre as identidades das juventudes. Assim a Rede Articula Juventude (REAJU), apoiada pela Fundação FEAC por meio do Programa Juventudes, irá trilhar seus passos com uma série de atividades planejadas para este ano.

Durante a primeira reunião da Rede, as pautas abrangeram o 5º Encontro de Juventudes, a ser realizado no dia 28 de março, e as programações das comissões de Formação e Estudos, Comunicação, Eventos e Incidência Política.

Entre as atividades programadas, também estão as ações em parceria com os diversos conselhos do município, a atualização do Guia das Juventudes e a retomada dos ciclos de debates com as temáticas ‘juventude negra’ e ‘defesa da diversidade sexual’.

“Temos que demarcar os direitos das juventudes e para isso é importante nos aproximarmos dos conselhos, uma vez que são espaços de participação social e controle sobre as políticas públicas. As juventudes precisam aparecer e esse público tem que ser visto e ouvido”, falou a integrante da REAJU e representante do Cedap (Centro de Educação e Assessoria Popular), Jaciara Cristina da Silva.

Debates e intercâmbios

Para a construção do 5º Encontro, a REAJU está programando uma série de atividades. “Nosso desafio é compreender esse público e para isso precisamos conhecê-lo em suas realidades. Saber o que eles constroem, o que sonham e o que querem. Por isso, este ano o tema que irá nortear o encontro é A perifa não pode parar de sonhar”, falou Vanessa Dias, articuladora da Rede e representante da Casa de Cultura Fazenda Roseira/Comunidade Jongo Dito Ribeiro.

De acordo com Richard Giovanni, um dos jovens participantes da REAJU, o tema proposto para o encontro se deu porque muitas vezes o jovem da periferia se sente desprezado e tem seus sonhos sufocados pela violência. “É importante levar temas como esse para serem discutidos. Por isso que participo da Rede, para dar voz aos jovens e para trazê-los para esse espaço tão importante de discussão”, garantiu.

O encontro, que acontecerá na Estação Cultura, contará com oficinas de dança, poesia, temas LGBT e muito mais. Também estão programadas duas rodas de conversas sobre os temas ‘Shipando o sonho em futuro’ e ‘Trolando a violência na perifa’ ou #fiqueligado’.

Na programação haverá ainda mesas de discussão e debate com participação de especialistas e articulistas. “Queremos que os próprios jovens ministrem oficinas e participem ativamente. As instituições que quiserem realizar oficinas no dia do Encontro também poderão fazer inscrição no período de 15 de fevereiro a 15 de março. O formulário on-line estará em breve disponibilizado no Facebook da REAJU”, explicou Vanessa.

Segundo Lincoln Moreira, gerente do Departamento de Assistência Social da Fundação FEAC e responsável pelo Programa Juventudes, o encontro garante a reunião de jovens, educadores, e pessoas interessadas na discussão do tema. “É um dia de reflexão e de mobilização das juventudes. Ainda há muito que se caminhar para garantir mais políticas públicas que viabilizem o desenvolvimento da juventude brasileira e este espaço é uma oportunidade para o fortalecimento desse público”, afirmou.

Cursos e formações

Outra conquista da REAJU para 2018 foi o curso de extensão ‘Educação e Juventude: políticas e ações educativas’, em parceria com a Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Com início em março, a formação ainda tem inscrições abertas que podem ser feitas até 19 de fevereiro aqui.

De acordo com Vanessa, o curso visa trabalhar o conceito de juventudes. Também será abordada as articulações com as políticas públicas e educacionais dos últimos 10 anos voltadas para os jovens brasileiros, colaborando para a melhoria da condição dos trabalhadores de projetos educativos e contribuindo para a reflexão sobre suas práticas. “Vai ainda problematizar as práticas de profissionais que atuam com a juventude em diferentes políticas públicas, sensibilizando para a singularidade desse público”, explicou. Segundo ela, o curso de extensão já era uma demanda dos educadores sociais do município. “Ter uma formação que pense em juventude e na política para os jovens nos espaços que eles ocupam e na diversidade que eles têm, é exatamente o que precisávamos e essa parceria com a Unicamp foi muito enriquecedora”, concluiu.

A assessora social do DAS, Carla Nascimento, dedicada ao projeto REAJU, também acredita que a iniciativa da Rede para elaborar uma formação com a temática voltada para juventudes vai ao encontro da necessidade e desejo de educadores e da rede socioassistencial como um todo. “É comum ouvirmos, em espaços de discussões técnicas, a dificuldade que os serviços encontram no dia a dia para garantir a participação do público jovem nas atividades propostas. Portanto, falar sobre as particularidades, desejos, anseios e desafios são pautas fundamentais para que possamos, de fato, romper com alguns paradigmas e ter uma atuação mais próxima e construtiva para todos.  O curso de extensão tem tido uma repercussão positiva nas redes intersetoriais, que já almejam outros momentos de formação”, pontuou.

Com início em março, o curso segue até junho e a ideia é que ele termine com uma atividade preparada exclusivamente para a Semana da Juventude, a ser realizada em agosto.

A REAJU também está desenhando a formação de Jovens Mobilizadores. Em uma parceria com o SESC, os encontros semanais devem acontecer de maio a novembro e têm como objetivo fortalecer a articulação com estudantes e potencializar a articulação de outros jovens participantes da Rede de Juventudes.

 

Saiba mais: https://reaju.wordpress.com/ e https://www.facebook.com/redereaju/

2018-04-19T18:22:28+00:0016 de fevereiro de 2018|Categories: NOTÍCIAS|Tags: |