Praça da União: um sonho que virou realidade

(Por Ariany Ferraz)

“Juntos podemos mais! Lutamos por isso e nós conseguimos mobilizar todo mundo. Como diz o ditado: uma andorinha só não faz verão, não é? Conseguimos juntar todas elas e fazer essa praça”, comentou Fábio Machado, morador e também líder comunitário. E foi assim, por meio da construção coletiva em mutirão comunitário, que um campinho de terra batida se transformou na Praça da União no ‘Buraco do Sapo’, localizado nas proximidades do Jardim Novo Flamboyant, em Campinas/SP.

Por meio do projeto #Com_Unidade, iniciativa do Programa Desenvolvimento Local da Fundação FEAC, o espaço ganhou vida nova e mais cores. Com a infraestrutura já instalada pela FEAC com quadra, playground, banheiro e academia ao ar livre, o mutirão do último 08 de dezembro promoveu a finalização da praça com instalação de bancos de concreto e da academia; pintura do banheiro, arquibancada e quadra poliesportiva, além da aplicação da grama e plantio de mudas.

Desde setembro deste ano que o projeto vem promovendo uma série de intervenções com moradores para pensarem uma praça de lazer. Após coleta de sonhos, montagem de maquete e definição de um projeto final, chegou a vez de pôr a mão na massa, aproveitando os talentos da própria comunidade. “Foi gratificante, ainda mais quando todo  mundo ajuda, as crianças, os adultos, pessoas de fora que vieram. Espero que seja a primeira de muitas realizações, das muitas necessidades que temos, pois estamos num lugar bem rico e a nossa comunidade ainda se encontra com tantas carências”, enfatizou Fábio.

E o nome escolhido para a praça não foi à toa. “A união faz a força! A comunidade se organizou, se uniu e se ajudou. A praça significa muita coisa pra mim, principalmente para as crianças que antes só tinham o campinho. Ficou bem melhor e agora eles não ficam muito tempo na rua sem a gente saber onde estão”, contou Flávia Cardoso, 33 anos, moradora do local há 16 anos e mãe de 3 filhos. Também a moradora Adriana de Fátima, 29 anos, mãe de 2 filhos de 1 e 10 anos, destacou a importância de os filhos estarem próximos e poderem ter um lugar para o lazer. “Hoje eu tô vendo o espaço transformado e tá muito perfeito”, declarou.

Lindalva Manoel, 31 anos, também mãe de 3 filhos, de 4, 7 e 13 anos, estava emocionada. “Aqui não tinha atividade e muitas vezes íamos para longe pra ter um espaço para brincar. Agora tá do lado de casa, maravilhoso, dá pra ficar despreocupada. Foi digníssimo! É muito gratificante poder fazer algo pra nós mesmos, pros nosso filhos”, ressaltou Lindalva que ficou encantada com o trabalho coletivo. Ela contou que ajudou na cozinha para garantir a alimentação que também gerou a energia de todos durante o trabalho.

Thais Brandt, arquiteta do Acupuntura Urbana, responsável pela execução do projeto, contou que a população estava mobilizada desde o início e por isso conseguiram terminar a praça antes do previsto. “O pessoal do Buraco do Sapo é muito unido. Eles estão ralando desde o começo e as mulheres daqui são incríveis! Sempre ajudando muito. Eles entenderam que a gente não veio fazer para eles e sim com eles. Integrou super!”, avaliou Thais.

“Com a realização do mutirão já é possível visualizar uma comunidade mais unida, redes de pessoas que, cada uma a seu modo, vão contribuindo na construção de uma vizinhança saudável e harmoniosa. A mão na massa é bastante simbólica pois resume em uma atividade coletiva a somatória de esforços e talentos locais”, avaliou Dione Barbieri da equipe de Arquitetura da Fundação FEAC e líder do projeto. Para ele a dinâmica torna cada indivíduo responsável pelo sucesso do projeto, o que ajuda na formação de um sentimento de pertencimento e identidade com o lugar onde vivem.

Inspirar

E as crianças também ajudaram! Para acompanhá-las, o mutirão contou com o apoio especial do MUVO (Mutirão Voluntário), projeto do Programa Cidadania Ativa. Além de auxiliar os pequenos, os voluntários também organizaram diversas atividades lúdicas para os dois dias de trabalho, com brincadeiras com bexiga d’água, bolha de sabão gigante, construção, pintura, circuito de pneus, corda, elástico, petecas, pipas, entre outras.

“Foi ótimo, porque os voluntários agregam muito, dão um gás e a comunidade chega já vendo esse exemplo. Tem uma troca muito boa entre voluntários e moradores, cada um trazendo seu saber”, observou Thais.

“Essa ação foi linda e consegui ver de perto o quanto foi importante para eles. Notei a felicidade no olhar de cada um, das criança aos idosos”, afirmou comovida Cristiane Barbieri, 45, auxiliar de odontologia. Ela, que pela primeira vez se voluntariou, ficou entusiasmada com a experiência. “Foi uma realização trabalhar com essa comunidade e um aprendizado prazeroso. Foi a primeira vez, mas quero continuar e fazer sempre em outras ações também. O pouco é muito, se você conseguir dividir, abraçar, acolher e cada dia mais olhar pro próximo faz toda diferença”, compartilhou Cristiane.

E quem também contribuiu para levar energia e vida nova para a comunidade foi Gabriela Carrasco, artista plástica e voluntária na pintura com stencil. Ela ficou feliz de poder compartilhar conhecimento e levar arte para a comunidade. “A mobilização voluntária é muito importante para difundir esse aprendizado e deixar os espaços públicos super bonitos”, afirmou.

A líder do Programa Cidadania Ativa, Marcela Doni, informou que os voluntários que participaram dos mutirões do MUVO ao longo do ano foram convidados para acompanharem as crianças durante a construção da praça. “Parece uma tarefa fácil!? Mas não é! Ao ver uma praça colorida, com plantas, brinquedos, areia, quadra, as crianças ficaram muito agitadas, ainda bem! Não esperávamos que seria diferente. Foi desafiador e muito divertido para quem participou, poder compartilhar daquela felicidade dos pequenos tanto nas atividades do mutirão, como propondo brincadeiras e gincanas”, indicou Marcela.

Celebrar e cuidar

Com a praça concluída, a equipe do Acupuntura Urbana fez uma roda de celebração, ouvindo os sentimentos de cada um e agradecendo pela contribuição de todos. “Uma vez que eles instaram tudo e realizaram, agora eles vão cuidar. Se a gente fez uma praça em um dia e meio e transformou com a força do coletivo, todo mundo junto trazendo seu talento, agora é saber como eles irão se organizar enquanto coletivo para que a praça se mantenha bonita e viva”, apontou Thais.

Ela explicou que a última fase, intitulada “Encontro de futuro”, representa a definição de um grupo gestor que se torna mantenedor da praça. Em mais um encontro serão dadas dicas e orientações para planejar os próximos passos. “Eles vão ter que se articular e marcar encontros para alinhar como vai acontecer.  São frentes diversas como paisagismo, pintura, mobiliário, etc, e a gente dá uma tarefa para cada um cuidar de uma partezinha e para que possam revezar esforços”, completou Thais.

“Levamos a proposta deste projeto como uma oportunidade para o que consideramos ser o maior bem que temos em uma cidade: seus espaços públicos. Onde as pessoas podem estabelecer vínculos sociais e ressignificar sua relação com a cidade. Esta comunidade estava pronta para esta experiência e mostrou muita união e dedicação. Este projeto nos mostrou que uma comunidade mobilizada faz toda a diferença. Estamos muito gratificados!”, concluiu Viviane Nale, líder do Programa Desenvolvimento Local.

#Com_Unidade

O #Com_Unidade é um projeto que busca a ressignificação de um espaço público por meio do protagonismo comunitário, estimulando a cidadania, o fortalecimento dos vínculos, convivência, participação e o pertencimento, contribuindo assim para a melhoria da qualidade de vida das famílias. Fortalecer o potencial de realização coletiva é o desafio que move desde o início o projeto na comunidade.

Através de uma Metodologia Participativa com quatro etapas, o parceiro executor Acupuntura Urbana realiza uma série de dinâmicas de integração e trabalho em grupo que engajam a população. Com quatro edições em 2018, além do Buraco do Sapo, o #Com_unidade já concluiu a edição no Abaeté e ainda outras duas acontecem nos territórios do Campo Belo e Distrito de Nova Aparecida.

Programa Desenvolvimento Local

Investe na mobilização comunitária com o objetivo de transformar territórios gerando bases para uma cidade mais inclusiva, acolhedora, eficiente e sustentável.

Programa Cidadania Ativa

Investe em mobilização e engajamento de todos, com objetivo de energizar a sociedade para agir na superação dos seus desafios e promover o bem-estar social.

X