Nós na Praça no Campo Belo fortalece rede intersetorial e população

(Por Ingrid Vogl)

Muito mais do que uma ação que reuniu diversas atividades recreativas e culturais, o Nós na Praça marcou a união de moradores em busca do fortalecimento de sua rede intersetorial, visando melhores condições e qualidade de vida. Assim o Nós na Praça, que aconteceu no Campo Belo no último fim de semana, foi o pontapé inicial do trabalho conjunto de moradores e representantes de equipamentos sociais locais dedicados ao atendimento de demandas comuns.

A construção da ação vem acontecendo desde fevereiro de 2018 e ao longo do período, 15 encontros foram realizados e reuniram 48 parceiros das redes pública, privada, movimentos sociais, associações de bairros e moradores, que planejaram toda a execução desta atividade.

O projeto Nós na Praça fomenta a formação de espaços de diálogos, denominados Núcleos Criativos para revitalização e apropriação do espaço público do território em que as ações acontecem, além de envolver a população em atividades artísticas, culturais e esportivas.

Aline Figueiredo, assessora social responsável pelo projeto Nós na Praça, ressaltou o processo de construção da rede de parceiros para a realização da ação.  “Conseguimos notar nos encontros realizados o potencial existente no Campo Belo, quando novas inscrições para as atividades chegavam diariamente. Poder explorar e dar visibilidade para manifestações artísticas, culturais e esportivas existentes, fortalece o tecido social e a apropriação e uso do espaço público. Esperamos que estas práticas possam acontecer com maior frequência para esta população maravilhosa”, comentou.

Impacto social

O resultado foi a presença de cerca de 1.500 pessoas que circularam pelo Campo Dom Gilberto e aproveitaram todas as atividades que reuniram 19 oficinas, nove atividades de recreação, quatro apresentações de exibição e sete apresentações artísticas, além de alimentação gratuita.

Foi bonito ver famílias inteiras, amigos e vizinhos aproveitando o sábado ensolarado. Os moradores puderam aproveitar atividades como oficinas de pintura de rosto e cabelo, ter informações sobre regras de trânsito, conhecer um pouco da história do bairro por meio de exposições de fotos ou prestigiar apresentações artísticas de moradores da região saboreando um picolé ou algodão doce. Teve até quem aproveitou a oportunidade para tietar super-heróis como o super-homem e o homem de ferro, que deram o ar da graça na ação do Campo Belo, para alegria da criançada e dos adultos também.

Construção coletiva

Para mobilizar e engajar moradores da região, o Nós na Praça, realizado pela Fundação FEAC, estabeleceu parceria técnica com o Centro de Educação e Assessoria Popular (CEDAP), que já executou no território o Projeto Formação de Lideranças Comunitárias, além da Rede Intersetorial Campo Belo. O Núcleo Criativo foi formado pela FEAC, parceiros e moradores que pensaram, organizaram e fizeram a ação acontecer.

“Toda essa mobilização foi especial porque muitos moradores participaram e se envolveram na organização e não só no dia da ação. Eles ajudaram a sonhar, imaginar e criar o Nós na Praça que eles desejavam”, afirmou Karina Vales Cappelli, socióloga e membro do projeto Formação de Lideranças.

Segundo ela, os moradores sempre se referem ao Campo Belo como um lugar esquecido, porque muito serviços não chegam até o local.  “Essa mobilização é importante para desmistificar essa ideia e fortalecer ainda mais os laços entre a comunidade, que quando perguntada sobre o que mais gostam no Campo Belo, respondem que são as pessoas.  Essa foi uma oportunidade deles se conhecerem melhor e conhecerem os trabalhadores dos serviços que são desenvolvidos aqui.  A união de todos é o saldo positivo do Núcleo que foi criado”, avaliou Karina.

Debora Porto Maciel da Silva, terapeuta ocupacional do Centro de Orientação ao Adolescente de Campinas (Comec), também chamou a atenção para a intensa participação dos moradores na tomada de decisão do Núcleo Criativo do Nós Na Praça. “Eles opinaram e decidiram o local do evento, quem iria participar e toda a programação. Sinto que estão mais engajados e conscientes de sua responsabilidade no território. Acredito que este grupo dará continuidade às ações na comunidade”, disse.

Denise Maria de Oliveira, assistente social e chefe de setor que trabalha há 11 anos no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Campo Belo, disse que presenciou pela primeira vez a mobilização da comunidade em busca de seus interesses. “O trabalho em rede de vários serviços é o que move o território e a participação da comunidade é o mais interessante e importante nesse trabalho articulado.  É muito bacana ver o esforço da comunidade para trazer ações para essa região, e espero que a tendência do grupo seja dar continuidade a esse trabalho”, desejou.  

Na luta

Moradora há 11 anos do Campo Belo, Maria Aparecida Lima, a dona Cida, tem uma mercearia em frente ao local onde foi realizado o Nós na Praça. A princípio, quando foi convidada a se juntar ao Núcleo Criativo da ação, ficou receosa, mas aos poucos, se envolveu totalmente com a mobilização. “No começo achei que fosse um movimento político, mas quando a FEAC explicou todo o processo, me envolvi totalmente e ajudei até a limpar a praça, pintar pneus e deixar tudo pronto para o Nós na Praça. Faço isso pelas crianças, porque tem muitos pequenos que brincam aqui e o clima é familiar. A FEAC trouxe alegria para cá, e a certeza de que a comunidade unida e fortalecida pode buscar seus direitos e fazer outras ações aqui e em outros lugares da região.  Queremos engajar mais pessoas que querem se ajudar, ir pra frente. Estou inspirada para continuar esse trabalho”, revelou.

Maria do Carmo Pereira de Sousa, líder da comunidade Menino Chorão, localizada no Jardim Colúmbia, estava cheia de orgulho explicando a história de sua comunidade por meio de fotos. Há oito anos no local, Maria do Carmo se emociona ao contar a trajetória da ocupação liderada por mulheres que unidas começaram a comunidade abrindo ruas e criando o próprio campo de futebol, em um belo exemplo de empoderamento feminino.

“Somos chamadas de loucas, mas na verdade, somos loucas por direito à moradia, igualdade de gênero. E hoje me sinto homenageada, porque é um grande orgulho expor pela primeira vez nossa história feita com garra, simplicidade, humildade e conquistas. Esta oportunidade de estar no Nós na Praça hoje é um reconhecimento de que existimos e isso fortalece nossa comunidade”, comemorou.

Aproveitamento

Amigos, famílias, vizinhos. Ao longo do dia, todos foram chegando no Campo Dom Gilberto para aproveitar tudo o que tinham direito. Junto com os primos, Iago Fonseca da Silva, 10 anos, se deliciou com o sorvete e aproveitou cada minuto do dia no Nós na Praça. “Achei muito incrível tudo isso acontecer aqui perto de casa. Já brinquei, comi, e estou vendo pessoas conhecidas se apresentarem no palco. Estou me divertindo muito”, disse.

O manobrista Evanir Pereira Dias levou o neto Hector, 7 anos, para conferir o evento. “Isso aqui é bom para a comunidade e principalmente para as crianças, porque aproxima todos, no sentido de se unirem por melhorias que são comuns a todos e também nas relações pessoais, porque falta amor entre as pessoas”, celebrou.

Os 34 voluntários que ajudaram a fazer o Nós na Praça acontecer se doaram e aproveitaram o dia. Luan da Silva Falcão, que faz curso de bombeiro civil, veio de Sumaré para participar da ação no Campo Belo. “Uma amiga me convidou e não perdi a oportunidade de poder ajudar. Ver um sorriso de satisfação nas pessoas é impagável, ainda mais em um evento bacana como esse”, afirmou.

A sorridente Maria Perpétua de Macedo Amâncio estava feliz da vida em sua tarefa na oficina de pintura de cabelos. “Moro aqui pertinho e é maravilhoso ver tudo isso acontecer. Participo do Núcleo Criativo, estou aqui como voluntária e de agora em diante, só quero ver esse grupo crescer e se fortalecer, para que nunca mais a gente seja esquecida”, anunciou.

E com esse espírito de união e confiança, ninguém duvida que a comunidade do Campo Belo e sua rede de serviços se fortalece para buscar seus objetivos e nunca mais ser esquecida.

Revitalização

Após a realização do Nós na Praça no Campo Belo, outro projeto da FEAC vai entrar em cena: o #Com_Unidade. A iniciativa, integrante do Programa Desenvolvimento Local, vai promover a revitalização do Campo Dom Gilberto, em um processo coletivo com a população.

O projeto tem a parceria técnica do Acupuntura Urbana, uma empresa social que trabalha com engajamento da comunidade, identificando sonhos coletivos para colocá-los em prática com a mobilização da comunidade local.  “Em junho iniciamos os encontros dos sonhos, em julho fizemos as maquetes e definimos a que reunia os sonhos mais fortes do grupo. A próxima etapa é realizar o mutirão para a efetivação do projeto, que deve ser feito nas próximas semanas”, explicou Bruna Renata Farine Milani, facilitadora do Acupuntura.

Sobre o Programa Cidadania Ativa

O projeto Nós na Praça faz parte do Programa Cidadania Ativa, iniciativa da Fundação FEAC que investe em mobilização e engajamento de todos, com objetivo de energizar a sociedade para agir na superação dos seus desafios e promover o bem-estar social.

A segunda e última edição 2018 do Nós na Praça acontece no dia 25 de agosto, das 10h às 17h, na praça da Integração, na Vila Padre Anchieta – Distrito Nova Aparecida.

2018-08-17T10:31:58+00:0017 de agosto de 2018|Categories: NOTÍCIAS|Tags: , , , , , , , |
X