Motiva a Captar leva conhecimentos para instituições e voluntários em busca da mobilização de recursos

(Por Ingrid Vogl)

 

Conhecimento, organização, planejamento e criatividade. Esses são alguns dos itens indispensáveis quando se fala em captação de recursos, e foi justamente sobre esse assunto que Marília de Lima, palestrante especialista em projetos e eventos para as áreas criativas e sociais, abordou no Motiva a Captar que aconteceu no último fim de semana na Fundação FEAC.

Entre reflexões e provocações, Marília mostrou várias possibilidades de mobilização de recursos e sugestões para elaboração de um bom plano de captação que possa gerar resultados positivos. A formação foi direcionada para voluntários e entidades sociais interessadas em saber mais sobre o assunto.

A formação teve como proposta tirar as pessoas da zona de conforto, já que quando se fala em social, muitos relacionam com ações gratuitas ou pedidos de ajuda. Mas a verdade é que as instituições têm um trabalho sério que precisa ser visto com profissionalismo e ter continuidade. Por isso, quando se pensa na captação de recursos como algo mais amplo, que não engloba só o aspecto financeiro, mas também parcerias e voluntariado, esse trabalho precisa ser feito com seriedade.

“Para isso, é preciso ter criatividade, inovar constantemente e monitorar as ações, para que se saiba se aquilo que é feito está dando resultados que podem inclusive gerar novas ideias de produtos ou eventos, e assim aproveitar para ampliar as ações”, afirmou Marilia.  

A palestrante frisou a importância da equipe da instituição estar sempre bem informada e ter conhecimento sobre o trabalho que se desenvolve, sobre trabalhar com criatividade e com novas possibilidades, fazer um planejamento anual do que será desenvolvido na entidade e ainda chamou a atenção para a manutenção dos relacionamentos.

Ela também deu dicas para quem quer captar recursos mesmo em tempos de crise. “Desde que o mundo é mundo há crises, e o que é preciso para vencer essas dificuldades é criatividade. Por outro lado, o mundo está mais social, colaborativo e cooperativo, e por isso, muitas vezes o que é preciso é mudar o jeito de fazer”, avaliou.

Marcela Doni, técnica responsável pelo Motiva, lembrou que todas as organizações sociais necessitam de recursos para viabilizar sua atividade, de forma que se obtenha resultado positivo com a operação. “A mobilização de recursos não se resume em buscar novos contatos e parcerias, mas também em fazer bom uso dos que já foram conquistados. As possibilidades de obtenção destes são várias e por isso, é importante que as instituições trabalhem essa questão, tendo como base sua missão, seus valores e deixando clara a expectativa de transformação que se pretende para que a rede de parceiros que apoiam a entidade, que muitas vezes iniciam uma parceria por acreditar e se sensibilizar com a causa, possam se manter e se ampliar”, avaliou.

Fora da caixa

Entre os participantes do Motiva a Captar, voluntários e representantes de instituições sociais acompanharam com interesse a formação. “Os conhecimentos que a Marília trouxe agregam muito ao nosso trabalho na entidade. Me chamou a atenção a importância de se manter o contato com os parceiros. Para mim foi sensacional e vou levar várias ideias para a instituição, principalmente relacionadas à maneira de se agregar mais valor aos eventos que realizamos”, disse Ângela Knebel, presidente do Projeto da Esperança, instituição que atende mais de 100 crianças e famílias no Parque Oziel e pessoas em situação de rua.

Marta Antonieta Oliveira de Azevedo Dias é voluntária na Semente Esperança, instituição localizada no Jardim Paranapanema, e compareceu ao Motiva para aprofundar seu conhecimento sobre captação de recursos e multiplicá-lo na instituição. “Achei que seria muito focada em números, mas foi excelente porque as informações são práticas. Também fiquei feliz em descobrir que a instituição para a qual faço voluntariado está no caminho certo, só precisa se aprimorar. Além disso, estou satisfeita em poder levar algo de novo para eles  e ajudar mais ainda no trabalho voluntário que é desenvolvido dentro da instituição”, concluiu.

Hérica Veryano, presidente e responsável pela captação de recursos no Instituto Flor de Vento, saiu inspirada da formação e com muitas ideias na cabeça.  Para ela, Marília abordou com profundidade o tema e ressaltou a importância sobre ter organização.  “Ela nos estimula a pensar novas possibilidades para captação que pode agregar valor ao próprio produto ou projeto.  Outro ponto que me chamou a atenção foi que existem possibilidades para vencer o desafio da crise. Foi o melhor curso que fiz nessa área”, concluiu.

Motiva direcionado

O Motiva a Captar fez parte das formações temáticas de uma série de encontros para voluntários que a FEAC já realiza, em geral, bimensalmente. A ideia é que os encontros temáticos qualifiquem ainda mais a formação oferecida a quem pretende desenvolver trabalho voluntário.

O Motiva (Mobilização, orientação, treinamento e incentivo a voluntários) é um dos projetos do Programa Cidadania Ativa, uma iniciativa da Fundação FEAC que investe em mobilização e engajamento de todos, com objetivo de energizar a sociedade para agir na superação dos seus desafios e promover o bem-estar social.

A próxima palestra temática será o Motiva a Contar, que irá oferecer formação gratuita sobre contação de história e será comandado por Juliana Furlanetti, da Fundação Educar. O evento acontece no dia 11 de julho às 18h na Fundação FEAC e as inscrições podem ser feitas no site: http://www.feac.org.br/motiva

 

2018-07-13T17:34:44+00:006 de julho de 2018|Categories: NOTÍCIAS|Tags: , , , |
X