Motiva a Acolher reúne interessados no voluntariado em instituições de acolhimento

(Por Ingrid Vogl)

A noite de terça-feira, dia 24 de julho, foi de aprendizado e novos conhecimentos para quem esteve presente no Motiva a Acolher. O público que marcou presença na formação temática tem interesse em atuar como voluntário em instituições de acolhimento de crianças e adolescentes.

Durante a formação que aconteceu na Fundação FEAC e foi comandada por Juliana Dias Barbosa, psicóloga da Associação de Educação do Homem de Amanhã (ADEHA) – Guardinha – e coordenadora dos projetos Apadrinhamento Afetivo e Trilhar, muitas dúvidas e esclarecimentos foram feitos a quem acompanhou tudo com interesse.

Juliana explicou o que é o serviço de acolhimento, como as crianças e adolescentes chegam até as instituições, quais as modalidades de acolhimento e apresentou as possibilidades de trabalho voluntário nesse segmento. “A intenção foi levar conhecimento sobre o assunto e sensibilizar as pessoas sobre a importância do trabalho voluntário com crianças e adolescentes que estão em situação de acolhimento”, explicou.

A psicóloga ainda apresentou alguns projetos em que voluntários podem atuar, como o Trilhar, que por meio de mentores, visa apoiar adolescentes em acolhimento para encontrarem seu lugar no mundo. O projeto Trilhar é uma iniciativa inédita em Campinas e nos dias 31 de julho e 15 de agosto serão promovidos encontros para fazer esclarecimentos a interessados. Outras possibilidades apresentadas foram o projeto Acordar, que visa o apadrinhamento afetivo para oferecer a oportunidade de resgatar o direto à convivência familiar e comunitária à crianças e adolescentes acolhidos, e o Conviver, atendimento individualizado em ambiente familiar às crianças e adolescentes, que necessitam ser afastadas temporariamente do lar de origem.

“Atualmente, a ideia não é mais que os voluntários façam visitas ou ações pontuais nas instituições de acolhimento, mas que seja desenvolvido um projeto específico para todas as crianças, com uma proposta de trabalho bem definida”, explicou Juliana.

Vontade de ajudar

O casal Marcia Helena de Moraes Plinio e Antonio Aquino Plinio fizeram muitas perguntas ao longo da formação e saíram satisfeitos e com vontade de ajudar. “Gosto de fazer trabalho voluntário porque além de fazer o bem, estamos sempre aprendendo algo novo”, disse Marcia.

A ideia de Antonio é multiplicar o que aprendeu no Motiva a Acolher com o grupo de voluntários do qual participa apoiando casais e jovens. “Entrei na formação como leigo e estou saindo como aprendiz. A Juliana nos mostrou várias direções e alternativas de atuação com crianças e adolescentes em acolhimento, e quero repassar esse conhecimento para motivar colegas a se engajarem nessa causa”, comentou.

Camila Reimberg Coutinho, pedagoga, saiu sorridente e com muitas ideias que pretende colocar em prática com trabalho voluntário. Ela, que já teve experiência com voluntariado em abrigo, procurou o Motiva a Acolher para buscar mais informações e orientações sobre as possibilidades de atuação em instituições de acolhimento. “Gostei muito da formação e saio empolgada em busca de mais informações para ajudar de alguma forma essas crianças e adolescentes acolhidos, porque sei que posso contribuir”, falou.

Para Marcela Doni, técnica responsável pelo Motiva, a causa de crianças e adolescente destituídos de suas famílias sensibiliza as pessoas, que por isso, buscam realizar ações voluntárias em abrigos. “A carência afetiva das crianças demanda dos voluntários comprometimento e dedicação para que seja estabelecido um vínculo de confiança, caso ele se ausente de um compromisso, a criança pode se sentir mais uma vez abandonada. Além disso, é preciso entender que as medidas de proteção judicial demandam limites e regras mais rígidas, os voluntários são bem-vindos para atuar em abrigos desde que estejam cientes do que irão encontrar”, avaliou.

Motiva direcionado

O Motiva a Acolher faz parte das formações temáticas de uma série de encontros para voluntários que a FEAC já realiza, em geral, bimensalmente. Segundo Marcela Doni, responsável técnica pelo projeto, a ideia é que os encontros temáticos qualifiquem ainda mais a formação oferecida a quem pretende desenvolver trabalho voluntário.

O Motiva (Mobilização, orientação, treinamento e incentivo a voluntários) é um dos projetos do Programa Cidadania Ativa, uma iniciativa da Fundação FEAC que investe em mobilização e engajamento de todos, com objetivo de energizar a sociedade para agir na superação dos seus desafios e promover o bem-estar social.

Mais informações:

[email protected]

(19) 3794 3544.

 

2018-07-27T10:33:17+00:0027 de julho de 2018|Categories: NOTÍCIAS|Tags: , , , , , , |
X