Inspirar voluntários para dedicação a gestão das OSC

(Por Ariany Ferraz)

“Nós precisamos de pessoas para serem nossos novos dirigentes e eles precisam se profissionalizar”, observou Dettlof Von Simson, presidente do Centro Promocional Tia Ileide (CPTI). Convidado especial do Motiva (Mobilização, orientação, treinamento e incentivo a voluntários), edição temática, Simson inspirou diversas pessoas para compor diretorias de Organizações da Sociedade Civil (OSC).

O Motiva a Gerir, projeto do Programa Cidadania Ativa, ocorreu no último final de semana de outubro, dia 27, e contou com a parceria do projeto ColetivaMente, do Programa Qualificação da Gestão, que oferece assessoramento de forma coletiva para instituições parceiras. A escolha do tema foi uma demanda identificada pelo projeto junto às instituições sociais atendidas. “Há uma enorme dificuldade em captar voluntários para compor diretorias de OSC, e muitas vezes isso ocorre porque as pessoas não sabem como fazer”, apontou Nathalia Garcia, técnica responsável pelo ColetivaMente.

“Sempre apoiei essa iniciativa e fiquei muito feliz em poder dar essa pequena contribuição. As entidades, para além do voluntário, precisam pensar na sucessão dos dirigentes para sobrevivência das instituições”, pontuou. Para estimular esse tipo de voluntariado, Simson abordou diversos aspectos da gestão, desde a composição da administração e direção das OSC, estatuto, leis e processos que pertinentes ao terceiro setor, divisão das áreas diretivas como a socioeducativa, financeira, comunicação e recursos, destacando a importância de cada uma, além das funções e responsabilidades.

“Eu diria que a atuação do  voluntariado na gestão é mais do que importante, é imprescindível! As organizações precisam de voluntários, desde que, muito comprometidos. A característica básica é fazer o que gosta e estar imbuído da causa que assumiu”, afirmou o presidente do CPTI. Um exemplo de voluntário gestor e com um longo histórico de atuação, ele compartilhou algumas experiências próprias e citou as demandas da área. “Eu sempre fiz o que eu gostei por 35 anos. E sou extremamente bem pago como voluntário pelo resultado positivo que vemos na instituição”, revelou Simson sobre as motivações.

“Foi muito esclarecedor! Todo o processo de gestão foi uma parte muita nova pra mim. Saí ainda mais inspirada!”, disse Vamilsa Pedrosa, pedagoga que trabalha com educação infantil. Ela, entre outros rostos jovens na plateia, representou ali a possibilidade de renovação na gestão para muitas instituições sociais. Gislaine Rosseto, coordenadora geral do SOS Ação Mulher e Família, contou que a presença de muitas pessoas jovens chamou a atenção. “Antigamente era quando as pessoas se aposentavam que elas iam ser voluntárias e hoje não. É importante pessoas de todas as idades participando da direção e de todas as áreas, porque acho que quanto mais diferentes as pessoas, mais elas podem contribuir para a evolução da entidade, elas se complementam”, observou.

Lincoln Moreira, gerente do Departamento de Assistência Social da Fundação FEAC, acompanhou a atividade e também participou cativando voluntários com a causa social. “Preparar e chamar a atenção das pessoas também para atuarem no âmbito da gestão é bem importante! As organizações obrigatoriamente tem que ter seu corpo de governança, estrutura de gestão que composta de voluntários, em sua maioria. Grande parte das pessoas acha que a operação direta é mais importante, é sim essencial, mas no âmbito da gestão é tão quanto pois é nele que a organização tem uma saúde e um pensamento estratégico de direção do seu trabalho, impactando nos resultados”, avaliou.

Depois de se voluntariar recentemente, a farmacêutica Débora do Anjos procurou a atividade para se informar melhor  sobre o universo do voluntariado. “É saber que eu posso contribuir com a vida dos outros. Gostei bastante de encontrar pessoas que já são voluntárias e aprender com elas”, disse. Como Luciano Malpelli, consultor empresarial atuante também na área social, que compartilhou com todos que o trabalho voluntário para ele é uma forma de vida. “A troca de conhecimento, de informação, é muito importante conviver com as pessoas mais experientes porque agrega muita informação para você poder contribuir com outras instituições”, contou Luciano que veio de Indaiatuba para prestigiar o encontro.

“O evento foi muito importante para atender a necessidade das OSC que precisam de pessoas qualificadas e. também, que muitas vezes, não se sentem confortáveis em atuar na linha de frente de atendimento, mas possuem conhecimento, experiência e o principal,  vontade de fazer a diferença”, ressaltou Nathalia Garcia.

“Viemos entender um pouco como é o trabalho voluntário e buscar uma melhor capacitação e conhecimento, de maneira que tenhamos condições de poder atuar. Foi muito proveitoso e não conhecia muito sobre assunto e com o Simson tivemos a oportunidade de poder colher essas experiências num excelente ambiente proporcionado pela FEAC”, declarou Marcos Cruz, colaborador na AEA (Associação Evangélica Assistencial), acompanhado de mais dois colegas da entidade.

Silvia Melis, coordenadora de Gestão Institucional em um escritório de advocacia, estava ali determinada: criar uma instituição sem fins lucrativos com objetivo de ajudar crianças. “Me chamou atenção a diversidade de profissões que podem colaborar e fazer o bem. Foi ótimo ver que ainda existem pessoas empenhadas e dedicadas”, enfatizou. Ela contou que saiu motivada e irá procurar auxílio da FEAC para dar os próximos passos.

“Muitas OSC trabalham focadas só na gestão das questões sociais. Entretanto, a profissionalização do setor, as exigências legais e o grau de complexidade vêm aumentando a cada dia. A responsabilidade junto às comunidades impõem uma visão mais ampla, um gerenciamento, que conduza a sustentabilidade da OSC. Requerendo para tal, gestores preparados para encarar esse desafio. Como a diretoria deve ser formada por voluntários, acreditamos que trazer este tema para o Motiva foi enriquecedor não só para quem participou, mas para as organizações que terão a oportunidade de receber possíveis novos diretores já cientes do que irão encontrar na gestão das organizações sociais”, concluiu Marcela Doni, líder do Programa Cidadania Ativa.

Motiva

Os encontros visam preparar e orientar pessoas para atuação em iniciativas de cidadania ativa e de apoio às OSC, com formações temáticas de uma série de encontros para voluntários que estão dispostos a atuar doando tempo e talento. A iniciativa é um dos projetos do Programa Cidadania Ativa da Fundação FEAC, que investe em mobilização e engajamento de todos, com objetivo de energizar a sociedade para agir na superação dos seus desafios e promover o bem-estar social.

Programa Qualificação da Gestão

Uma iniciativa da Fundação FEAC que investe para que Organizações da Sociedade Civil adotem boas práticas com objetivo de operarem de forma autônoma, com processos de gestão eficientes, conformidade, regularidade e, principalmente, impacto social significativo.

X