Conecta Educação evidencia a importância do brincar

Edição especial do encontro integrou 9ª Semana da Educação

(Por Laura Gonçalves Sucena)

Elas pulam, correm, pintam e descobrem o mundo. Para evidenciar a importância do brincar, a 9ª Semana da Educação de Campinas projeto do Programa Educação da Fundação FEAC, promoveu edição especial do encontro Conecta Educação que teve como tema a importância do brincar e reuniu diversos educadores interessados na temática.

Durante o encontro, que teve como proposta despertar a reflexão e o debate sobre as brincadeiras como fator essencial no desenvolvimento da primeira infância, as palestrantes Patrícia Torres, diretora educacional do Instituto Dona Carminha, e Eliana Pires da Costa, professora de pedagogia da infância, ressaltaram a importância que o brincar tem na vida das crianças.

Também em razão do Programa Primeira Infância em Foco (PIF), a Fundação FEAC privilegiou o tema na Semana da Educação. “Falar sobre a importância do brincar no desenvolvimento e na aprendizagem das crianças na educação infantil é fundamental para suscitar nos adultos a compreensão do universo lúdico, onde a criança comunica-se consigo mesma e com o mundo, aceita a existência dos outros, estabelece relações sociais e constrói conhecimentos, desenvolvendo-se integralmente”, comentou Adriana Silva, assessora técnica do Programa PIF que integra a estrutura programática da Fundação FEAC.

Brincadeira séria

No encontro dedicado à importância do brincar, a palestrante Patrícia contou sobre o trabalho que é realizado no Instituto Dona Carminha, onde a inclusão vai muito além do pensar numa educação diferenciada ou especial. A diretora falou sobre como é essencial saber quem é a criança com quem trabalham e como enxergá-la. “Temos que buscar a criança que existe em nós e deixar a criança brincar livremente”, falou.

Para Patrícia, é preciso deixar a criança brincar sem interrupções e perceber a rotina da criança facilitando a brincadeira. “Como organizamos a rotina das nossas escolas? Temos que pensar que a criança que brinca livremente será um adulto mais empático e mais feliz”, pontuou.

Outro apontamento destacado foi com relação à organização dos espaços. “Temos que nos perguntar e observar se nossas escolas possuem espaços que privilegiam o brincar. E quais mudanças podemos propor para isso”, disse.

Patrícia também propôs novas brincadeiras. “Crianças gostam de brincar com os elementos da natureza e temos que incentivar essa interação. É possível, inclusive, levar brincadeiras seguras com fogo num ambiente controlado. Esse tipo de atividade dá à criança o controle da situação e estimula a autonomia e concentração”, garantiu.

A diretora finalizou sua apresentação enfatizando a importância de deixar os pequenos serem livres. “Temos que pensar que hoje nós somos o brinquedo favorito de nossas crianças. Então vamos aproveitar e promover o desenvolvimento infantil”, ressaltou.

Escravos de Jó

Com a brincadeira ‘Escravos de Jó’, a professora Eliana colocou toda a plateia para cantar e logo questionou: “Quem nos ensinou essa brincadeira? Estamos levando a diante e passando isso para as gerações futuras? “Nós temos repertório e precisamos compartilhá-lo”, falou.

A pedagoga ressaltou a importância do brincar na sua abordagem cultural. E, mais que isso, disse que é essencial defender o brincar. “Muita gente nos questiona a importância do brincar. Nos questionam por que não alfabetizamos os pequenos o quanto antes, por que não ensinamos inglês e muito mais. E nós temos que argumentar que o brincar é importantíssimo. Isso tem que estar muito bem embasado. Essa é nossa missão, e é desafiadora”, exclamou.

Para Eliana, não se pode passar a ideia de que brincar é menos. “Nós nos constituímos brincando, então vamos defender essa ideia. E vamos despertar a criança que está dentro de nós, vamos brincar juntos, saber como as famílias brincam com seus filhos. Vamos militar pela infância”, argumentou.

Experiências

Interessados e animados, os participantes aproveitaram o momento de reflexão e compartilharam suas experiências com os pequenos. A diretora da Casa da Criança de Sousas, Célia Fossaluzza, contou sobre uma filmagem das crianças em que elas brincaram sem interrupções. “Precisamos prestar atenção para deixarmos os pequenos brincarem livremente, pois eles ficam satisfeitos. As brincadeiras sem interrupções estimulam a interação, solução de problema e muito mais”, comentou.

Pela Creche Menino Jesus de Praga também foi relatada uma experiência realizada com os pais. “Muitas famílias falam que não têm tempo de brincar com seus filhos. Então fizemos um espaço como se fosse uma casa e convidamos os pais para um dia de brincadeiras. Foi maravilhoso e eles brincaram muito. Mostramos que é possível envolver as crianças nas tarefas do dia a dia. Foi fabuloso esse resgate”, contou a coordenadora pedagógica da instituição, Christiane Carvalho.

Jessica Grana, professora da rede pública estadual, que participou de diversos eventos da Semana da Educação, contou que é preciso conversar sobre a primeira infância, até mesmo com professores do ensino fundamental. “As crianças saem da educação infantil e param de brincar. Há uma quebra da brincadeira e muitas vezes eles não sabem como lidar com isso”, disse.

A professora Cecília Belini, da escola Bosque do Saber, de Indaiatuba/SP, participou do encontro e gostou do que ouviu. “Muitas vezes nos focamos no lado pedagógico e esquecemos da importância fundamental do brincar. Somos muito cobrados e realmente temos que defender o brincar”, falou.

A socialização de práticas educativas proporcionou um momento de reflexão mais consciente acerca da importância do brincar na vida do ser humano e, em especial, na vida da criança. “Fontes inesgotáveis de interação lúdica e afetiva, os brinquedos e as brincadeiras contribuem para que toda criança exercite as suas potencialidades, pois há sempre desafios que provocam o aprofundamento de conhecimentos e a conquista de novos níveis de desenvolvimento.   Compreender a relevância do brincar possibilita aos professores, em qualquer etapa de ensino, intervir de maneira apropriada, não descaracterizando o prazer e a aprendizagem que o lúdico proporciona à criança”, finalizou Adriana.

Primeira Infância em Foco

O Programa Primeira Infância em Foco é uma iniciativa da Fundação FEAC que investe em esforços para promover o desenvolvimento da primeira infância com objetivo de assegurar que todas as crianças tenham desenvolvimento adequado à sua faixa etária.

Semana da Educação

Com 26 atividades gratuitas entre palestras, oficinas, exposições, mesas redondas, apresentações culturais e outras, a 9ª Semana da Educação de Campinas aconteceu de 22 a 29 de setembro em vários pontos da cidade. O tema da edição 2018 do calendário de eventos foi “Conectar educação, superar desafios”, pensando nas múltiplas conexões que a educação faz com áreas como economia, saúde, segurança e cidadania, contribuindo para a transformação de uma sociedade mais inclusiva e igualitária.

A Semana da Educação é um projeto do Programa Educação da Fundação FEAC. A iniciativa pretende mobilizar a sociedade para o debate sobre os diversos temas da educação energizá-la em prol de uma educação pública cada vez melhor.

A edição 2018 da Semana da Educação teve patrocínios da Fundação Educar DPaschoal e Iguatemi Campinas.

Programa Educação

O Programa Educação é uma iniciativa da Fundação FEAC que investe em projetos que contribuem para uma educação pública cada vez melhor, como pilar fundamental para o desenvolvimento da sociedade.

Saiba mais:

https://www.feac.org.br/primeirainfanciaemfoco/

https://www.feac.org.br/educacao/

 

 

2018-10-11T15:17:00+00:0012 de outubro de 2018|Categories: NOTÍCIAS|Tags: , , |
X