Comunidade protagonista: moradores do Campo Belo idealizam construção coletiva de praça

(Por Ariany Ferraz)

Cozinhar, cantar, dançar, construir, bordar, entre tantas outras habilidades formaram uma teia de talentos na praça Dom Gilberto, no Jardim Campo Belo em Campinas/SP. Com um rolo de barbante em mãos, cada morador se apresentava, falava o que gostava de fazer e passava para outra pessoa,  até formar uma imensa cama de gato. Essa foi uma das atividades que deu início ao segundo encontro do projeto “#Com_Unidade” no primeiro final de semana de julho.

Integrante do Programa Desenvolvimento Local da Fundação FEAC, o projeto busca a valorização dos potenciais locais colocando o cidadão como protagonista da mudança de sua realidade. A proposta é despertá-lo para a apropriação do espaço público e estimular a transformação da praça em um local de encontro que visa o fortalecimento do senso comunitário entre os moradores, oportunizando a convivência, com processos de transformação social por meio de intervenções coletivas.

De acordo com a líder do Programa, Viviane Nale, a ideia é oferecer à comunidade um espaço que tenha condições para a permanência. “Ele deve os  desejos da coletividade e estimular o convívio entre as pessoas, atribuindo vitalidade natural ao ambiente construído”, comentou Viviane.

Bebedouro, jardim, banheiro, escorregador, bancos, lixeira, pista de skate, estes são alguns dos mais de 30 sonhos aspirados pelos moradores para a praça que durante uma atividade denominada “Encontro de Sonhos”, a primeira realizada  em grupo, contou com 90 pessoas. Convidados a sonhar, os moradores puderam ocupar o espaço e colocar  no papel seus desejos de transformação para o local. A comunidade pendurou em uma árvore os seus sonhos como se fossem frutos. Coletados os sonhos, foram sistematizados em categorias: ‘Ocupação e manutenção’, ‘Infraestrutura’ e ‘Parquinho e ginástica’.

Desta forma, com três grupos divididos para cada categoria, as dinâmicas desta segunda etapa deram sequência ao processo reunindo cerca de 40 pessoas que se conheceram melhor, compartilharam capacidades e construíram juntas as maquetes da praça idealizada. “Agora no segundo encontro convidamos todos para brincar de arquiteto. Aí a comunidade põe a mão na massinha de modelar e faz um mini mutirão de como seria isso na realidade. Então temos três maquetes, onde cada grupo coloca esses sonhos materializados e depois a gente reúne tudo num sonho só”, explicou Aline Matulja, integrante da equipe do Acupuntura Urbana que coordena as atividades.

Construção coletiva

Com a mão na massa, Cilene Cardoso, pôs no papel as mudanças pretendidas e auxiliou na construção da maquete. Moradora do Campo Belo há mais de 20 anos, ela faz parte da liderança local e expressou seu entusiasmo com o projeto. “A expectativa de todos os moradores é a melhor possível. As famílias, os idosos, as crianças queriam isso. A nossa região é muito carente desse movimento, desse espaço. A gente acredita que é real e que pode transformar. Um espaço mais humano. E valorizar isso é muito importante para nós. Vai mudar nossas vidas com lazer, com cultura, com mais olho no olho, um espaço de convivência”, disse.

“O que mais falta aqui é espaço para as crianças!”, relata José Aparecido dos Santos, conhecido como Zezinho do Campituba, que também faz parte da liderança da região. O “#Com_Unidade” representa esperança, união e renovação. “Esse projeto é muito bacana e faz com que a gente possa sonhar. E com a certeza de que a gente vai poder tirar mais pessoas da rua, afastando das drogas”, pontuou Divino Sebastião da Silva, líder comunitário e esportista.

Esperançosos em ter uma pista de skate na praça, os jovens Gleide Ueriton Rodrigues e Jhon Kennedy, 18 anos estavam animados com a novidade. “É muito legal tentar trazer uma vida pro parque. A gente anda de skate aqui no bairro e não tem um lugar bom, adequado pra andar, e serve também para patins e patinete”, falou Jhon. “Uma área de lazer seria muito bacana. Tendo um pista traria um bom movimento para praça e podem acabar asfaltando as ruas também”, declarou o otimista Gleide.

Juntos os participantes de diversas idades discutiram e definiram juntos o que poderia ser feito para revitalizar o espaço. A atividade também propicia a criação e fortalecimento de vínculos. “É muito bonito esse processo porque ele é construído aos poucos. Quando a gente chega na comunidade, notamos que ainda existem muitas separações e o que parece ser um conflito é só uma falha na comunicação. E quando os reunimos, eles vão conversando e se identificando e vendo pontos em comum. Essas dinâmicas que a gente faz servem muito para construir afeto. Tanto entre eles, com a nossa equipe e com o espaço, que é o mais importante”, avaliou Aline.

A confiança nos potenciais da comunidade é o fio condutor da estratégia desenvolvida. Com o lema desatando nós urbanos e fortalecendo nós humanos, o parceiro executor da iniciativa, Acupuntura Urbana, é responsável pelo processo e ações integrantes do projeto.  Um negócio social que constrói projetos coletivos com comunidades, conta com mais de 20 ações pelo Brasil. Trabalhando por meio de uma Metodologia Participativa, são previstas quatro etapas: ‘Diagnóstico’, ‘Projeto’, ‘Mão na Massa’ e ‘Acompanhamento’.

Antes dos dois encontros já realizados com a população, a primeira ação foi o Diagnóstico Afetivo, com pesquisa de campo que  mapeou necessidades e percepções da comunidade e também mobilizou a todos. Além do olhar urbanístico, ainda buscou histórias e pessoas que tornam o local único. Foi identificado que a Praça do Campo Dom Gilberto já era utilizada como lugar de encontros e mantida pelos moradores do entorno, que sonham em ter uma praça mais bonita, iluminada e com opções de esporte e lazer.

O anseio por realizações coletivas é evidente. “A iniciativa de reorganização da praça para a comunidade é muito importante, porque temos um espaço bom e nunca tivemos condições de fazer nada. E temos que incentivar o povo do bairro a vir e participar do projeto, aproveitar essa oportunidade. Se cada um fizer um pouquinho a gente consegue realizar os sonhos de todo mundo”, contou Paulo Alberto, presidente desde 1997 da Associação de Moradores dos bairros Jardim Dom Gilberto e Jardim Puccamp, na região do Campo Belo.

Os próximos passos envolvem a transformação física do local, com dois dias de mutirão no mês de agosto para que as ideias ganhem vida de forma coletiva. “Mês que vem voltaremos já com o mutirão colocando a mão na massa mesmo, convidamos então a comunidade inteira a trazer seus talentos para a praça por que a gente acredita que eles são capazes de fazer tudo que sonham. Quanto mais gente vier, mais transformação conseguiremos fazer”, aponta Aline.

Após construída a praça a próxima etapa é de ‘Acompanhamento’, que finaliza o processo com uma análise dos resultados e planejamento. “Todo mundo quer que esse espaço seja lindo para conviver, brincar, se encontrar. Na parte final, depois da intervenção, voltamos para convidar a comunidade a pensar o seu futuro. E agora, qual o próximo sonho que eles conseguem realizar? É para ir além! Às vezes são coisas incríveis que nascem nesses projetos tão simples, mas muito significativos”, completa Aline.

Programa Desenvolvimento Local

É uma iniciativa da Fundação FEAC que investe na mobilização comunitária com o objetivo de transformar territórios gerando bases para uma cidade mais inclusiva, acolhedora, eficiente e sustentável.

 

 

X