Comunidade do Abaeté realiza sonho

Inauguração de ‘Espaço Comunitário Multiuso’ e praça de lazer impacta mais de 6 mil pessoas

(Por Ariany Ferraz)

Moradores da Vila Abaeté celebraram a construção do ‘Espaço Comunitário Multiuso’ e a urbanização da praça do bairro. Especialmente a inauguração do espaço, marcou a conquista do primeiro lugar de convívio público para  todos os condomínios da região. O Espaço Multiuso será utilizado para sediar encontros da Associação de Moradores, oficinas gratuitas de gastronomia, artesanato e outros bens culturais, vai também ser palco de outras atividades. O espaço chega com a comunidade já mobilizada em torno de seus projetos de empreendedorismo social, cultura, lazer, capacitação, entre outras iniciativas idealizadas pelos próprios moradores do residencial.

Resultado do projeto #Com_Unidade que integra o Programa Desenvolvimento Local da Fundação FEAC, a oferta dos novos espaços irá impactar positivamente na vida de mais de 6 mil pessoas. A iniciativa beneficia também bairros vizinhos como Jardim Nova Mercedes, Jardim San Diego, Parque das Camélias e Parque Eldorado.  

“Foi um sonho idealizado há muito tempo e que conseguimos realizar”, comemorou Catarina Leme, tesoureira da Associação Amar (Associação de Moradores do Abaeté e Região). Fundada em março deste ano, a associação é fruto da mobilização comunitária, que estimula o desenvolvimento comunitário, de lideranças, de cidadania e de pertencimento local. Vera Lúcia Oliveira, presidente da Associação Amar, explicou que tudo começou com a ‘Escola de Transformação’ do Instituto Elos.

O projeto que contou com a parceria da Fundação FEAC e Prefeitura Municipal de Campinas, integra o DIST (Desenvolvimento Integrado e Sustentável dos Territórios) do Governo Federal através do Fundo Socioambiental da CAIXA e é executado pela Demacamp. Desde 2016, o Instituto Elos já desenvolveu ações de formação, realização e mobilização comunitária nos conjuntos residenciais Sirius, Abaeté e Bassoli, empreendimentos do projeto Minha Casa Minha Vida em Campinas.

Foi também por meio da ‘Escola de Transformação’ que surgiram diversos projetos idealizados e desenvolvidos pelos moradores, entre eles o ‘Beneart Canaã’ e o ‘Cante, dance e crie’ que acontecem desde fevereiro e agora poderão utilizar o ‘Espaço Multiuso’ oferecendo oficinas gratuitas para a população. “Um espaço como esse traz muitos benefícios, de ter a oportunidade de ensinar um pouquinho do que a gente sabe. E isso é muito gratificante!”, observa Elenita Ferreira, 43 anos, integrante do grupo ‘Cante, dance e crie’, que promove oficinas de dança, música e artesanato. Ela conta que devem iniciar a programação com o curso de artesanato a ser quinzenalmente ministrado. Futuramente, também será montada uma feira no mesmo local para rentabilizar as produções.

“Esse espaço significa o início de um sonho! Tudo começou com uma ideia e agora estamos aqui. A intenção mesmo é ajudar! Nosso trabalho é fazer com que as pessoas possam produzir seu próprio alimento e também gerar uma fonte de renda”, contou Vilma Aparecida, 57 anos, líder do ‘Benearte Canaã’. O projeto consiste em aulas de culinária. A ideia é começar a trabalhar com pães e salgados e reaproveitamento de alimentos. Ela explica que haverá uma programação entre as oficinas para que as aulas ocorram nos finais de semana.

A ressignificação de um espaço

“Desde a primeira mobilização realizada, já existia o sonho de uma sede para a Associação e uma praça”, pontuou Thaís Polydoro,  arquiteta e urbanista, coordenadora da Escola de Transformação do Instituto Elos. Assim, a Escola de Transformação deu voz aos moradores que apontaram a necessidade de locais  para atividades comunitárias e de lazer.

Para que a área que antes era tomada pelo mato alto se transformasse, muitas ações aconteceram e a comunidade foi aos poucos fortalecendo vínculos e se apropriando do território. Com uma metodologia participativa, a equipe do Instituto Elos promoveu uma série de encontros e oficinas para mobilizar a  transformação do espaço público por meio do sonho e construção coletiva. Após um trabalho de diagnóstico e convivência, no processo denominado Vivência Oásis, foi realizado o “Encontro de Sonhos”, quando todos puderam pensar o que queriam para o local. Em seguida construíram uma maquete e colocaram a mão na massa durante mutirão que envolveu mais de 100 moradores. O trabalho se deu através da limpeza da praça, execução do paisagismo, jardinagem, plantio de mudas, construção de bancos, calçamento, pintura de muro e instalação do playground.

“Este projeto foi concebido junto da população através de muita escuta, elemento essencial neste processo, reconhecendo e respeitando o significado que a comunidade desejou para este espaço. Nosso objetivo foi contribuir com um legado que é o espaço onde as pessoas podem  se reunir em atividades cotidianas, multiplicar experiências e se divertirem com as crianças. As cidades estão sempre em movimento e transformação, mas a importância dos espaços públicos de convívio como agente para a melhoria da qualidade de vida e manutenção da vida urbana, não mudam”, avaliou Viviane Nale, líder do Programa Desenvolvimento Local.

O edifício do ‘Espaço Multiuso’, conectado com a praça,  foi construído depois de aprovado na Prefeitura Municipal de Campinas, por meio do financiamento da obra que foi finalizada em 3 meses.Todo processo totalizou cerca de dois anos de muitos esforços e expectativas. “Vimos a luta de cada um, as dificuldades enfrentadas durante o processo, por isso hoje é um dia de muita alegria, de realização!”, afirmou Renata Belufe, assessora técnica da Secretaria Municipal de Habitação (Sehab), que acompanha o trabalho técnico social da Companhia de Habitação Popular de Campinas (Cohab Campinas).

“Na busca de melhorias para o bairro esse espaço consolida isso. A paisagem urbana do bairro mudou, com a intervenção e com os projetos, tudo com muita qualidade. É uma experiência única do público e privado, onde a Prefeitura autoriza, a Fundação FEAC financia e a comunidade se organiza para fazer acontecer!”, analisa Thaís.

Para Eleusina de Freitas, urbanista e coordenadora da Demacamp, quanto mais esses locais se tornarem parte da cidade, mais vida será dada para essa comunidade. “Isso significa ter uma dinâmica urbana não formada só por residências, mas ter uma área de lazer, um espaço de convívio, um comércio, c. O objetivo desse trabalho é a gente tornar esses empreendimentos lugares sustentáveis”, pontuou.

Carla Daiana Apolinário, 33 anos, marcou presença na companhia das vizinhas e filhos. “Para as crianças ter essa praça é muito bom!”, disse. Ela conta que antes só tinha o condomínio, que não tem muito espaço para o lazer dos pequenos.

“Lugares como esse proporcionam um ponto de encontro, inclusive a praça que para as crianças é muito importante, pois você garante um lugar de convívio, consegue dar a oportunidade das pessoas se conhecerem e perderem o medo de sair de casa. Melhora a qualidade de vida também!”, avalia Gabrielle Astier, arquiteta da Demacamp. Ela explica que na maioria da vezes a criança fica restrita ao apartamento e as áreas comuns geralmente são residuais, pouco aproveitáveis.

“Esse espaço é conquista de uma comunidade de uma região em que pessoas  e lideranças comunitárias estão interessadas em ter uma qualidade de vida melhor. Eles vão participar do projeto Empreendedorismo de Base Comunitária e tudo isso cria um pertencimento maior e um entendimento do que são projetos coletivos”, observou, otimista, Lincoln Moreira, líder do projeto de Empreendedorismo de Base Comunitária, outra iniciativa do Programa Desenvolvimento Local da Fundação FEAC.

Celebrar e fazer acontecer

Com cerca de 120 pessoas reunidas, a praça recebeu inúmeras crianças, famílias, voluntários e envolvidos com a iniciativa. Depois de muito reencontro e celebração, a fita vermelha da porta do ‘Espaço Multiuso’ teve seu laço desfeito marcando a inauguração oficial. Um momento de muita emoção, de partilha de sentimentos e planos. Depois foi exibido um vídeo que contou a história do projeto, com depoimentos dos participantes e equipe.

“Decidimos fazer um acolhimento da população para explicar o que é o espaço”, pontuou Vera Lúcia. Com a missão de engajar, o grupo da Associação já fez convites para que todos participem dos cursos e reuniões previstos. A presidente da Associação também compartilhou que já existem solicitações de outros bairros para uso do espaço e que irá captar voluntários para ministrar novos cursos.

“Agora finalizamos o processo. Buscamos o tempo todo que eles fossem os protagonistas dessa história. Os moradores já estão organizados com um plano de onde eles querem chegar nos próximos 2 anos”, salientou Thaís Polydoro.

Graças ao investimento de cerca de R$ 80 mil, além dos 92m² da praça com jardim, mesas, bancos e parquinho, foi possível ainda 68m² do ‘Espaço Comunitário Multiuso’ que conta com uma sala de administração, salão, cozinha e dois banheiros acessíveis.

#Com_Unidade

O projeto tem como objetivo qualificar os espaços públicos por meio de intervenções urbanas, com foco na criança e adolescente, para estimular a convivência e o pertencimento da comunidade e assim contribuir para a melhoria da qualidade de vida das famílias. A iniciativa para revitalização de espaços públicos junto às comunidades, tem quatro edições previstas para acontecerem nos territórios do Campo Belo, Jardim Novo Flamboyant (Buraco do Sapo) e Distrito de Nova Aparecida, além da já concluída no Abaeté.

Programa Desenvolvimento Local

Uma iniciativa da Fundação FEAC que investe na mobilização comunitária com o objetivo de transformar territórios gerando bases para uma cidade mais inclusiva, acolhedora, eficiente e sustentável.

X