Cidade dos Meninos promove convivência comunitária com concurso culinário

(Por Laura Gonçalves Sucena)

Larissa tem 19 anos e sonha em ser confeiteira. Para perseguir seu objetivo, a jovem entrou no curso de Panificação e Confeitaria da Cidade dos Meninos, instituição de acolhimento de Campinas/SP, e aprendeu a fazer pães, massas, cremes, doces e tortas. Mais do que isso, aprendeu a ter comprometimento, a ser responsável e a ter autoestima.

Moradora do bairro Campo Belo, Larissa Vicente da Silva resolveu se desafiar e, após a conclusão do curso que tem duração de três meses, decidiu participar de uma competição de culinária promovida pela mesma entidade. Dos 15 competidores, a jovem foi a grande vencedora, recebendo como prêmio um curso de barista e uma vaga no mercado de trabalho.

“Isso tudo é incrível! Nem acredito que fui a vencedora. Estou batalhando por isso e agora vejo que está dando certo. Já é a segunda vez que faço esse curso na Cidade dos Meninos e esse resultado comprovou que meu esforço não foi em vão. Eu quero sempre aprender e ir além”, falou emocionada.

A premiação veio na hora certa. Os pais da jovem estão se mudando para uma área rural e ela estava em busca de um emprego para se manter na cidade. “Tenho certeza que minha vida vai mudar. Este é o primeiro passo para meu futuro e essa premiação veio na hora certa porque com o emprego vou poder me manter, estudar, fazer faculdade de Gastronomia e, quem sabe um dia, ter minha própria confeitaria”, comemorou.

Segundo o superintendente da Cidade dos Meninos, Derli Barboza, a ideia do concurso nasceu em conjunto com a inauguração do Café Social, que iniciará as atividades no início do próximo ano, no bairro do Cambuí, em Campinas/SP. “A competição estimulou os participantes do curso, já que a premiação é mais um curso e um emprego. Queremos oferecer a esses adolescentes uma perspectiva de vida, uma profissão e transformar vidas”, falou.

Os cursos oferecidos pela Cidade dos Meninos, além de ensinarem uma profissão para os adolescentes acolhidos e jovens da comunidade, também focam no desenvolvimento de habilidades sociais. “Não basta somente aprender a ser um profissional. Nossos jovens e adolescentes também aprendem a desenvolver sua cidadania. Eles aprendem a ser éticos”, enfatizou Derli.

Além do curso de Panificação e Confeitaria, a Cidade dos Meninos oferece também capacitação em Artes culinárias, Informática, Funilaria e Pintura e Cabelereiros e Manicures para os 110 adolescentes do abrigo e das casas lares. Por ano, no total, mais de 200 pessoas passam pelos cursos, que também são oferecidos para os jovens da região do Campo Belo (local no qual a entidade está instalada).

Para a líder do Programa Acolhimento Afetivo da Fundação FEAC, Ana Lídia Puccini, mais do que todo o processo de aprendizagem conquistado pelos participantes do desafio culinário, é importante que a instituição abre suas portas para que todos possam conhecer e participar do trabalho desenvolvido.

“Esses cursos preparam os acolhidos em uma perspectiva de autonomia e independência e ainda favorecem a convivência comunitária. Essa perspectiva os prepara para o momento de saída do abrigo ao completarem a maioridade, e a buscarem um novo caminho em suas vidas adulta”, falou Ana Lídia.

A Cidade dos Meninos é uma entidade parceira da Fundação FEAC que integra o projeto de apoio institucional do Programa Acolhimento Afetivo.

Estilo Masterchef

A competição teve todo o estilo Masterchef (maior reality culinário do mundo, que revela os novos talentos da cozinha), com jurados, tempo de preparação, muita disputa e torcida. Entre os meses de outubro e novembro, 15 adolescentes acolhidos e jovens da comunidade passaram por várias eliminatórias.

Para o grande dia foram reservadas as disputas da semifinal, com cinco concorrentes, e da final, entre Larissa e o adolescente Diego Lima da Silva. Todas as preparações foram feitas na cozinha profissional da Casa do Confeiteiro e acompanhadas de perto pelos jurados Fernando Brito, chef executivo do Buffet Delikatessen, e Agnaldo Permagnani, demonstrador técnico da Casa do Confeiteiro.

Para Fernando, a iniciativa do concurso foi incrível para descobrir habilidades e novos talentos para a área. “Me surpreendi de ver como todos se esforçaram e alguns realmente apresentam dom para a profissão. Foi muito difícil julgar a final porque ambos são muito talentosos”, comentou.

Na final, o vencedor foi escolhido levando em conta a apresentação visual, receita original e melhor sabor, cor e textura. As receitas foram de empadas de frango e palmito e torta de limão e morango.

O vice-campeão, Diego Lima da Silva, 16 anos, parabenizou a vencedora e afirmou que não desistirá de seguir carreira na área. “Foi muito bom participar e aprendi muito no curso. Meu pai é padeiro e quero seguir essa profissão e vencer na vida”, contou.

Premiação

Além do curso de barista, oferecido pela empresa Cafemaq, a vencedora Larissa também será contratada pelo Café Social, projeto da Cidade dos Meninos que visa gerar receita para a instituição.

De acordo com superintendente da instituição, o Café Social será um espaço de comercialização de produtos alimentícios e cafés e ainda um local onde as pessoas poderão conhecer o trabalho desenvolvido pela Cidade dos Meninos.

“O café irá funcionar no bairro do Cambuí, perto do Centro de Convivência, e o espaço, além de oferecer a cafeteria, também servirá como centro de treinamento para os alunos dos cursos. Será um local de vivencia profissional para os outros alunos dos nossos cursos de alimentação, oferecendo experiência e ampliando a formação profissional e o leque de possibilidades para o mercado de trabalho”, informou Derli.

Ao final da competição, o superintendente parabenizou todos os competidores e afirmou que a Cidade dos Meninos irá se esforçar para colocar no mercado de trabalho todos os semifinalistas. “Estou me comprometendo a falar com nossos parceiros para inserir esses jovens talentosos na profissão. A instituição se compromete com as crianças e adolescentes que acolhe e, também, com os jovens da comunidade onde a entidade está inserida, que participam dos cursos”, garantiu.

Programa Acolhimento Afetivo

O Programa Acolhimento Afetivo é uma iniciativa da Fundação FEAC que investe no bem-estar e proteção das crianças, adolescentes, adultos e idosos em situação de acolhimento. Tem como objetivo garantir espaços de construção de identidade e cidadania plena, ampliando as redes individuais de vínculos familiares e sociais protetivos.

Mais informações: https://www.feac.org.br/acolhimentoafetivo/

2018-11-27T10:06:42+00:0027 de novembro de 2018|Categories: NOTÍCIAS|Tags: |
X