Bom Pastor realiza serviço de acolhimento provisório para pessoas em tratamento de saúde  

(Por Claudia Corbett)

Dona Cícera veio com o irmão do Paraná. Foram oito horas de viagem e mais algumas até chegar ao hospital. Há uma semana estão alojados na Casa de Repouso Bom Pastor. A instituição realiza Serviço de Acolhimento Institucional Provisório para pessoas e seus acompanhantes em trânsito, durante o tratamento de doenças graves, fora da localidade de residência. A instituição está localizada, estrategicamente, no Distrito de Barão Geraldo para receber pacientes do Centro de Oncologia e do Hospital das Clínicas da Unicamp.

Vinculado à Coordenadoria de Proteção Social Especial de Alta Complexidade, a Casa é o único serviço de acolhimento provisório para adultos e seus acompanhantes ofertado na cidade de Campinas/SP. Com 60 vagas, o atendimento é realizado de maneira integral e humanitária. “Quando chegamos na Casa Bom Pastor já era noite. Fomos recebidos com um prato de sopa quente e acolhidos pelos funcionários que estavam à nossa espera. Para nós isso foi gratificante”, comentou Cícera Rosa da Silva. Ela e o irmão terão que retornar daqui um mês. “Volto mais tranquila, porque é muito triste estar doente e não saber onde ficar e nesta Casa podemos contar com o apoio dos profissionais e dos demais pacientes que estão na mesma situação”, complementou Dona Cícera.

Segundo a assessora social do Departamento de Assistência Social da Fundação FEAC, Carla Nascimento, apesar do serviço ofertado não ser tipificado pelo SUAS (Sistema Único da Assistência Social), a relevância da Casa é inquestionável. Ela é reconhecida no município de Campinas pela parceria realizada para execução de um serviço complementar. “Campinas é um polo de atendimento médico hospitalar. Muitas pessoas oriundas de outros municípios e até mesmo de outros Estados recorrem aos tratamentos aqui ofertados. Como uma grande maioria delas não possui recursos financeiros para se manter na cidade, o serviço desta Instituição torna-se indispensável”, frisou a assessora social da FEAC.

Acolhimento humanizado

As pessoas acolhidas na Casa de Repouso Bom Pastor recebem cinco refeições diárias, ocupam dormitórios com banheiro e podem permanecer com seus familiares ou cuidadores o tempo que for necessário.  A instituição realiza, a cada 15 dias, uma Roda de Conversa. Segundo a assistente social da instituição, Silvana Simão Fidêncio, é neste momento que as pessoas falam das suas angústias, tristezas e esperanças. Contam suas histórias de vida. “Este desabafo compartilhado abre para conversas e trocas de experiências entre as pessoas, principalmente, pelas que estão em tratamento de câncer”, explicou a assistente social do local.

Tudo começou há 35 anos, com as senhoras Benedicta Thereza Domene, carinhosamente chamada de Dona Didi, hoje presidente de honra da instituição, e Ruth Giraldi Poças. A força de vontade e determinação destas duas mulheres despertou a colaboração de muitas pessoas da cidade, resultando em doações individuais e da comunidade. Por se tratar de um trabalho sério, desde o seu início, a entidade conquistou o respeito e admiração da sociedade.

Nestas mais de três décadas passou por várias mudanças e adequações. Hoje está localizada em um terreno da prefeitura, doado pela subprefeitura de Barão Geraldo. São 4,5 mil metros nos quais foram construídos dois alojamentos – um feminino e um masculino, refeitório, sala de TV, salas administrativas, uma lavanderia, capela, um bazar e amplo jardim.

Bazar

A entidade mantém um bazar de roupas e produtos seminovos. Com ele atende as necessidades das pessoas que vêm de outras localidades, que muitas vezes não estão preparadas para o clima que encontram na cidade, e gera recursos de fundamental importância para o orçamento da instituição.

Além do amplo espaço na sede da entidade, são realizados bazares itinerantes, um no terminal Barão Geraldo e outro no Ouro Verde. “Nestes bazares externos há uma troca. Vendemos as peças por preços quase que simbólicos. Uma calça jeans, por exemplo, custa R$ 5,00. As pessoas em situação de vulnerabilidade social podem comprar e ao comprar estão ajudando pessoas que estão na mesma situação que elas”, destacou a presidente social da instituição, Regina Helena Finazzi Demasi.

A entidade recebe doações de produtos dos mais variados. “Pode até ser pires sem xícara ou xícara sem pires”, descontraiu Regina. Todas as doações são recebidas, avaliadas e o que não estiver em condições de venda é doado para serviços realizados por igrejas. Todas as roupas são lavadas e, se houver necessidade, são reparadas por costureiras voluntárias antes de irem à venda.  Segundo a presidente da área social, a receita resultante do bazar representa cerca de 70% dos recursos da entidade. O Bazar da Casa de Repouso Bom Pastor funciona das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira, na sede da instituição localizada na Rua Fernando Casellato, 89 – Distrito de Barão Geraldo – Campinas/SP.

Saiba Mais: http://www.casabompastor.org.br/

 

 

X