Alunos da PUC-Campinas realizam projeto com crianças e adolescentes em acolhimento

(Por Laura Gonçalves Sucena)

Jogos, brincadeiras, contação de histórias e muita diversão. As atividades que envolvem as crianças e adolescentes do Lar da Criança Feliz fazem parte de uma parceria entre a instituição e a Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas) com o intuito de incentivar a convivência e a sociabilização, visando o fortalecimento de vínculos sociais.

O projeto da PUC, que será realizado ao longo do ano de 2018, é composto de oficinas recreativas com vivências motoras, que se dão em encontros mensais na universidade, desenvolvidas com a participação de alunos das faculdades de Pedagogia e Educação Física, com orientação e acompanhamento de docentes.

Durante as manhãs de sábado, as crianças e adolescente acolhidos participam de atividades variadas, sempre valorizando o contato lúdico das crianças com a literatura, por meio da contação de histórias, jogos e brincadeiras. Nas atividades promovidas pelos profissionais e estudantes da Pedagogia, a meninada se diverte e aprende com a literatura e outras brincadeiras educacionais.

Segundo a professora da faculdade de Pedagogia, Magali Arnais, o objetivo é desenvolver atividades nas quais a utilização de jogos e outros instrumentos possam proporcionar às crianças maior significação ao brinquedo. “Nos jogos e brincadeiras, por exemplo, procuramos desenvolver capacidades coordenativas, motoras, cognitivas e sociais. As atividades atendem as especificidades de cada grupo etário para que interação. Aliamos diversão com aprendizagem”, comentou.

De acordo com a coordenadora técnica do Lar, Josane Rossi Lazaretti, a parceria com a PUC está sendo muito positiva para as crianças e adolescentes. “A medida protetiva não invalida o direito à convivência comunitária. Toda ação que desenvolve as potencialidades das crianças é bem-vinda e é isso que a universidade está oferecendo. São momentos valiosos para essas crianças que serão levados para a vida toda”, garantiu.

Para a coordenadora, mais do que o acolhimento institucional, a proposta do Lar da Criança Feliz é oferecer proteção e sociabilização. “É preciso criar uma convivência que favoreça uma sociedade inclusiva, com crianças e adolescente que se fortaleçam para pertencer e transformar a comunidade”, completou Josane.

O Lar da Criança Feliz tem parceria com a Fundação FEAC através do projeto de Apoio Institucional ao Acolhimento que integra o Programa Acolhimento Afetivo.

Experenciar relações saudáveis para que as crianças e os adolescentes acolhidos fortaleçam seu repertório de respostas às situações vividas é a intenção desse tipo de atividade. “O Acolhimento Institucional deve promover espaços que possibilitem vivências comunitárias, priorizando ações que possam garantir o bem-estar integral das crianças e adolescentes, e a vivência na comunidade faz parte desse bem-estar”, afirmou a líder do Programa Acolhimento Afetivo, da Fundação FEAC, Ana Lídia Puccini.

Mexendo o corpo

Na Educação Física as atividades também trabalham a coordenação motora e as habilidades. Nos dois primeiros encontros, os professores da faculdade realizaram um diagnóstico do repertório motor da criançada para conhecer as potencialidades e fragilidades da turma.

“No primeiro encontro trabalhamos com bolas e outras ações na parte terrestre. Já no segundo encontro, levamos o pessoal todo para a piscina e essas experiências com o meio foram excelentes para verificarmos o nível de coordenação, equilíbrio, locomoção e manipulação de objetos. Todos têm potencial e já estamos pensando no próximo encontro, quando iremos trabalhar com ginástica rítmica e artística”, falou o diretor da faculdade, Istvan de Abreu Dobranszky.

Para a criançada a experiência não podia ser melhor. O sábado de atividade é aguardado com ansiedade. “Aqui o espaço é grande, tem um monte de coisa diferente para a gente fazer e os monitores são muito legais. Foi muito legal ir para piscina e brincar de caça figuras”, falaram os meninos Gabriel e Pedro, de 11 e 13 anos.

“É realmente um dia diferenciado e para as crianças e adolescente é muito especial porque além de proporcionar atividades extras, fora da rotina, é uma oportunidade a mais para a socialização e o fortalecimento de vínculos comunitários saudáveis”, completou a pedagoga da instituição, Jucyara Francisco.

Ação Solidária

As atividades realizadas pelas duas faculdades da PUC-Campinas também visam sensibilizar os alunos em relação à importância do voluntariado e da compreensão do papel social que a futura profissão pode exercer na sociedade em diferentes contextos.

A intenção é sensibilizar os alunos para se engajarem em atividades solidárias, sempre com a supervisão de docentes. “Queremos oportunizar aos nossos alunos a interação com crianças em situação de vulnerabilidade social para o exercício de atividades que integram sua formação, enquanto experiência orientada. Também promover oportunidades para o desenvolvimento de atividades complementares a sua formação e despertar o interesse dos alunos para proposição, elaboração e desenvolvimento de projetos sociais”, garantiu o diretor.

Programa Acolhimento Afetivo

O Programa Acolhimento Afetivo é uma iniciativa da Fundação FEAC que investe no bem-estar e proteção das crianças, adolescentes, adultos e idosos em situação de acolhimento. Tem como objetivo garantir espaços de construção de identidade e cidadania plena, ampliando as redes individuais de vínculos familiares e sociais protetivos.

Mais informações: http://www.larcriancafeliz.org.br/

 

 

2018-04-12T09:13:20+00:0012 de abril de 2018|Categories: NOTÍCIAS|Tags: , |