Alunos analisam impacto dos projetos vencedores do Atitude Educação

(Por Laura Gonçalves Sucena)

Eles criaram projetos, passaram por seleções, aprimoraram ideias, participaram de mentoria e qualificações e, agora, estão caminhando para a reta final do Atitude Educação 2018. Nesta etapa, os alunos das escolas vencedoras puderam avaliar suas ideias e analisar cada um dos critérios de seus projetos.

No penúltimo encontro do ano, os estudantes das nove escolas participaram de dinâmicas e tiveram tempo de discutir e analisar seus projetos. Na pauta estavam as questões sobre quais foram os maiores desafios e dificuldades que encontraram para fazer o projeto acontecer; os pontos fortes; quais habilidades que descobriram; como foi trabalhar em equipe; quais estratégias utilizadas; e como solucionam conflitos.

No bate-papo, os alunos puderam avaliar o impacto de seus projetos dentro da escola, em suas vidas e, também, na comunidade. “Passamos por várias fases. Houve a criação dos projetos, o desenvolvimento, o trabalho em equipe e a implantação. Então, esse encontro é para que eles possam avaliar o que foi realizado até agora e as habilidades que foram desenvolvidas ao longo de todo esse processo”, explicou Cristiane Stefanelli, coordenadora de projetos para o Protagonismo da Fundação Educar DPaschoal.

De acordo com Raika Aquino, técnica responsável pelo projeto Atitude Educação

a etapa de avaliação do projeto é importante para o desenvolvimento do jovem, uma vez que possibilita a mensuração da eficiência, efetividade, impacto e relevância das ações e do percurso percorrido. “A avaliação guia e orienta os participantes com relação à continuidade e necessidade de correções, além de proporcionar autoconhecimento e a estruturação de consciência crítica sobre o nosso mundo”, falou.

De A a Z

Na hora da avaliação, os alunos e seus professores puderam refletir sobre todo o processo de seus projetos. O pessoal do Culto à Ciência apontou que os objetivos foram alcançados, mas ao longo do ano passaram por algumas dificuldades. O grupo desenvolveu habilidades de pesquisa científica, leitura, escrita e diálogo.

Executar o protagonismo e fazer acontecer foram os pontos fortes destacados pelos alunos da Escola Jornalista Roberto Marinho. Para o pessoal da Escola Municipal Maria Pavanatti Fávaro, as divergências foram resolvidas com muito diálogo e argumentação.

Comprometimento e trabalho em equipe foram os pontos destacados pelos adolescentes da Escola Adalberto Prado e Silva, bem como os desafios de extrapolar os muros da escola com o projeto ‘Interagindo na melhor idade’. Já os estudantes da Escola Luiz Galhardo tiveram como desafios a diferença de ideias e a falta de tempo, mas apontaram o comprometimento da equipe e o protagonismo como os pontos fortes.

Conciliar as horas dedicadas ao projeto com o tempo das aulas foi uma das dificuldades apontadas pela equipe da Escola Benevenuto de Figueiredo Torres. Mas eles também apontaram pontos fortes como trabalho em equipe, segurança e autoconhecimento. Já o pessoal da Escola Newton Pimenta Neves citou os desafios de se trabalhar com o orçamento e de se lidar com as emoções do grupo. Os alunos destacaram a comunicação, o trabalho em equipe e a motivação.

Clima de despedida

Francislene Naves, professora da Escola Luiz Galhardo, acredita que o Atitude Educação refinou o processo de escuta, tornando-o enriquecedor. “Aprendi a ouvir os estudantes e a acreditar no protagonismo deles. Nossos alunos dão muito valor à leitura e o projeto teve seu propósito realizado. Tenho certeza que eles são capazes de mudar o mundo”, enfatizou.

“Hoje foi um dia muito especial porque olhamos para nós e percebemos o que conseguimos mudar.   Essa autoavaliação foi muito interessante. Mas também percebemos que está chegando no final e dá uma tristeza porque fomos muito bem acolhidos. Aprendemos muito e somos protagonistas. O amadurecimento não foi somente do projeto, foi da gente também”, resumiram Cauã Piacenti e Gustavo Pasolini, alunos da Escola Luiz Galhardo.

Colocar as opiniões e pensar em conjunto foram alguns dos aprendizados do pessoal da Escola Castinauta de Barros Mello e Albuquerque, que participa com o projeto Amigos do Recreio. “Tinha muita inimizade na escola e acredito que conseguimos mudar esse cenário por meio da escuta e da integração”, falaram as alunas Beatriz da Silva e Vitória Rodrigues do Santos.

As meninas da Escola Padre Leão Vallerie, que trabalharam com o projeto #Papodemeninas, acreditam que o processo de escuta e de comunicação foi o ponto alto. “Vamos levar muitos aprendizados para a nossa vida. É o empoderamento feminino”, comentaram as amigas Ana Julia Braga, Bianca Barbosa e Ana Beatriz Braga.

Atitude Educação

Com o tema “Participação: Transformar ideias em ações”, o Atitude Educação 2018 é um dos projetos integrantes do Programa Juventudes da Fundação FEAC e visa conscientizar e incentivar jovens a serem protagonistas em suas escolas e comunidades.

Correalizado em parceria com a Fundação Educar DPaschoal, o Atitude Educação tem como público alvo estudantes do Ensino Fundamental II e Médio das redes públicas municipal e estadual do município de Campinas/SP.

Ao todo nove escolas tiveram projetos vencedores, que receberam recurso financeiro de até R$ 5.000,00 cada, a ser utilizado exclusivamente para o desenvolvimento das ideias e ações selecionadas.

Sobre o Programa Juventudes

Programa Juventudes é uma iniciativa da Fundação FEAC que investe na criação de espaços de participação e aprendizado social, autogeridos por jovens, com o intuito de incentivar o protagonismo juvenil propositivo e engajado com o desenvolvimento social.

Confira as escolas vencedoras do Atitude Educação 2018 e seus projetos:

Rede Municipal

EMEF Benevenuto de Figueiredo Torres: “Horta do Benê”
EMEF Maria Pavanatti Fávaro: Intervalo Participativo
EMEF Padre Leão Vallerie: #Papodemenina

Rede Estadual Oeste

EE Prof. Newton Pimenta Neves: Quadra em Foco
EE Jornalista Roberto Marinho: Mais Lazer na Escola
EE Prof. Luiz Galhardo: Leitores em ação

Rede Estadual Leste

EE Culto à Ciência: Manejo de resíduos sólidos: Bio, Esfera – Engenheiros mirim
EE Adalberto Prado e Silva: Projeto INMI – Interagindo na Melhor Idade
EE Prof.ª Castinauta de Barros Mello e Albuquerque: Amigos do Recreio

2018-11-22T14:14:22+00:0022 de novembro de 2018|Categories: NOTÍCIAS|Tags: , |
X