Notícias

Ciclo de Diálogos em Educação propõe participação de diversos setores para ações de impacto na área educacional de Campinas

Ciclo de Diálogos em Educação propõe participação de diversos setores para ações de impacto na área educacional de Campinas

(Por Ingrid Vogl)

Pensar, discutir, criar e efetivar práticas inovadoras e impactantes na educação. Esta é a proposta do Ciclo de Diálogos em Educação em Campinas, iniciativa da Fundação FEAC que pretende reunir lideranças influenciadoras da educação básica da cidade, de diversos segmentos, como governo, sociedade civil, instituições privadas e universidades.

Segundo César Matsumoto, coordenador do Ciclo de Diálogos, a proposta da iniciativa, baseada na Teoria U, é fomentar um campo de diálogo e de colaboração transetorial. “A gente vê que tem muitas iniciativas acontecendo em Campinas ligadas à educação, mas que estão isoladas. O que a gente quer é pensar e olhar junto com os diversos atores da área educacional, como podemos atuar nesse sistema. Nossa teoria da mudança é conseguir trazer um microcosmo representativo desse sistema educacional: academia, governo, empresas, terceiro setor, para virem se juntar em uma jornada de criação de soluções inovadoras e impactantes na educação”, explicou César durante o primeiro encontro, que ocorreu no fim de novembro na Casa de Vidro, no Lago do Café.

O coordenador do Ciclo de Diálogos explicou que o objetivo é que cerca de 30 pessoas participem da iniciativa, que terá uma jornada de cerca de um ano de duração. “O ciclo contará com encontros e imersões, e a meta do grupo será co-criar, re-compreender juntos os desafios e caminhos possíveis. É um convite de transformação pessoal e sistêmico sobre educação, uma ideia que será criada em conjunto. O método a ser usado ajuda a compreender que a forma como a educação acontece começa dentro da gente, com uma transformação individual”, afirmou.

Após a realização dos encontros, a expectativa é que sejam criados protótipos, isto é, iniciativas em fase de experimento que visam ser inovadoras, mas não burocráticas. A ideia é que sejam feitos projetos rápidos, baratos e pequenos, para que sejam testadas hipóteses do que pode dar certo na educação, onde são pontos que se alterados poderiam criar grandes mudanças”, explicou.

Concepção

Segundo Leandro Pinheiro, superintendente socioeducativo da Fundação FEAC, a pretensão da instituição de contribuir com educação de Campinas não vem de hoje. A questão discutida no momento é como contribuir e de fato, ser efetivo com ações que tenham impacto.

“Sozinho a gente não chega a lugar nenhum, e é por isso que a proposta é fazer um processo de escuta e diálogo. O papel da FEAC neste ciclo é ser mais um participante na discussão de forma isenta, e por isso, convidamos o César para fazer o papel de articulador, garantindo que essa escuta aconteça de forma equilibrada. O que a gente quer realmente é trazer diversidade e conversar com parceiros de longa data e com outros atores sociais que estejam mais próximos da educação. Assim, acreditamos que surjam caminhos interessantes”, contou.

Segundo Rodrigo Augusto de Oliveira, promotor de justiça da infância e juventude de Campinas, a iniciativa do Ciclo de Diálogos é importante para que se pense em soluções e medidas para melhorar efetivamente o sistema educacional.  Rodrigo acredita que algumas iniciativas não estão sujeitas a ações governamentais para acontecer e dependem mais de mobilizações locais que com criatividade, podem resultar em melhorias significativas para comunidades.

“Essa possibilidade de diálogo com as pessoas envolvidas por iniciativa da FEAC é muito positiva para que a gente troque ideias e ouça experiências. Isso enriquece todos nós e certamente teremos contribuições para a melhoria da educação básica em Campinas”, afirmou o promotor.

Marjorie Nascimento da Silva, aluna do 3º ano do ensino médio da EE Miguel Vicente Cury, disse ter saído de sua zona de conforto para participar do grupo de diálogo. “Tudo isso é novidade e desafiador para mim. Mas acredito que com diferentes pontos de vista, temos muito potencial para juntos criarmos ações com bons resultados, porque falar de educação é sempre algo bom que pode impactar muita gente”, opinou.

Rodrigo Otávio Teixeira Neto, presidente do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente de Campinas (CMDCA) e dirigente do Centro Promocional Tia Ileide (CPTI), fez questão de participar da primeira reunião do Ciclo de Diálogos e acredita que mudanças são possíveis. “Esta iniciativa é inovadora, e como tenho muito interesse no assunto porque acredito na transformação por meio da criança e do adolescente, me esforço para estar presente neste projeto que trata de buscar essa transformação. Mudanças só acontecem se realmente as pessoas se engajarem nisso, o que é desafiador”, disse.

O próximo encontro do Ciclo de Diálogos em Educação em Campinas está previsto para acontecer em janeiro.

Mais informações: https://www.dialogoseducacaocampinas.org.br/  ou contato@dialogoseducacaocampinas.org.br