Notícias

Dia 21 de março: jovens com Síndrome de Down conquistam autonomia 

Dia 21 de março: jovens com Síndrome de Down conquistam autonomia 

No dia 21 de março é comemorado o Dia Internacional da Síndrome de Down, com o objetivo de dar visibilidade para a temática e reduzir o preconceito sobre as pessoas que têm a Síndrome. A data tem uma razão de ter sido escolhida, já que a Síndrome se caracteriza por ser uma alteração genética no cromossomo “21”, que deve ser formado por um par, mas nesse caso aparece com “três” exemplares (trissomia).

Com a ampla divulgação da Síndrome, atualmente um dos principais desafios é a garantia da autonomia dessas pessoas e, por isso, entidades como a Fundação Síndrome de Down e o Centro de Educação Especial Síndrome de Down (CEESD), parceiras da Fundação FEAC, desenvolvem um trabalho que promove projetos de apoio à vida adulta.  O objetivo é estimular o desenvolvimento das potencialidades da pessoa com Síndrome de Down para favorecer a inclusão, por meio de atividades que atendam suas necessidades cotidianas. As instituições são ainda participantes do programa Mobilização para Autonomia (MOB), iniciativa do Departamento de Assistência Social da Fundação FEAC, que visa formar e sensibilizar a rede de entidades e a sociedade em geral no intuito de reduzir barreiras à inclusão efetiva de pessoas com deficiência, promovendo, assim, sua autonomia.

O processo de amadurecimento do jovem com Síndrome de Down muitas vezes não tem a ver com déficit cognitivo. Pode estar relacionado com a ausência de oportunidades para resolução de seus próprios problemas. É na inserção em ambientes para além da família que se vislumbra crescimento individual focado nas necessidades pessoais, econômicas e relacionais.

Mundo do Trabalho

O trabalho é um dos meios para inclusão das pessoas com Síndrome de Down. Dentro das instituições existem projetos que contribuem para isso.  “Apoiamos estes jovens na melhoria da utilização da língua portuguesa, dificuldades na leitura e compreensão de textos e na escrita. Também orientamos sobre o que devem vestir, como se comportar, entre outras dicas”, enumerou Eduardo Henrique Tedeschi, psicólogo responsável pelo Serviço de Formação e inserção para o Mercado do Trabalho, da Fundação Síndrome de Down.

Tanto a Fundação Síndrome de Down como o CEESD também oferecem projetos que levam os jovens com Síndrome de Down a conviverem com seus grupos e levarem uma vida social.

As duas instituições incentivam a rotina social que todo jovem costuma adota ao frequentar locais de convívio normalmente apreciados por esse público. Esse momento de diversão oportuniza que vivenciem situações de escolhas e tomadas de decisões. Saídas culturais também são estimuladas para enriquecimento dos repertórios.

Mais informações:
Fundação Síndrome de Down – www.fsdown.org.br
Centro de Educação Especial de Síndrome de Down – ceesd.org.br
Fundação FEAC: (19) 3794.3552